0:00
0:00

Delações devem movimentar Brasília em meio ao pré-recesso

  • Por Jovem Pan
  • 19/12/2016 10h23
Fellipe Sampaio/SCO/STFFellipe Sampaio/SCO/STFEstátua da Justiça que fica em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF) em Brasília
Arco-íris ao entardecer visto da Estátua da Justiça. Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF (06/10/2011)

O comentarista Fernando Rodrigues destaca o que será relevante no poder e na política nesta semana final no Congresso.

O Governo vai terminar o ano tentando investir no anúncio de medidas econômicas. O Banco Central também deve anunciar algo a mais na área de crédito, o que daria um pouco de noticiário positivo a Michel Temer.

A partir de quarta-feira (21), Brasília deve parar. O Senado já não possui sessões e a Câmara deve votar ainda esta semana a renegociação da dívida dos Estados.

Além disso, as delações da Odebrecht chegam nesta segunda-feira (19) ao Supremo Tribunal Federal. “Vai ser um conteúdo gigantesco”, alerta Fernando Rodrigues.

No STF há a última reunião de trabalho antes do recesso e os casos emergenciais seguem sob a tutela da presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia.

Na Lava Jato, Eduardo Cunha deve ser transferido da carceragem da PF para um complexo médico penal em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ele deve se juntar ao ex-ministro José Dirceu.

No campo econômico, o IBGE divulgará na quarta-feira a inflação do quarto trimestre deste ano.