0:00
0:00

Se Governo Temer estabilizar, julgamento de chapa no TSE pode ser engavetado

  • Por Jovem Pan
  • 20/12/2016 10h52
EFEEFEMichel Temer EFE

Diante do cenário político no País, o comentarista Fernando Rodrigues destaca o julgamento da chapa Dilma/Temer no Tribunal Superior Eleitoral e os 77 acordos de delação premiada que chegaram ao Supremo Tribunal Federal nesta segunda-feira (19).

O julgamento da chapa da petista e do peemedebista em 2014 irá depender de como estiver a economia e as delações premiadas da Lava Jato no ano que vem.

Em caso de estabilização do Governo Temer, o processo deve ficar engavetado. No entanto, se a crise política se agravar, “um botão deverá ser acionado no TSE”, avalia o comentarista.

“O cronograma desse julgamento importante vai depender da conjuntura política e econômica no Brasil”, diz Fernando Rodrigues.

Sobre as delações premiadas, que também podem influenciar no julgamento da chapa, o comentarista da Jovem Pan, ressalta que a insegurança política se tornou o novo “normal” em Brasília.

Em uma de suas raras declarações, o ministro do STF e relator da Lava Jato na Corte, Teori Zavascki, garantiu que irá trabalhar durante o recesso na análise dos 77 acordos que chegaram à Corte nesta segunda-feira (19).

“Vai ser um trabalho grande e é bom que Teori Zavascki tenha falado que vai trabalhar em janeiro. Não tem cabimento esperar 44 dias para que esse trabalho começasse a ser feito”, finaliza Fernando Rodrigues.