Beija-Flor é campeã do Carnaval do RJ com enredo de críticas sociais

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2018 16h59
EFEEscola levou criticou o "país monstruoso" ao fazer paralelo com Frankenstein

A Beija-Flor de Nilópolis se sagrou a campeã do Carnaval 2018 do Rio de Janeiro. A escola conquistou seu 14º título da história com o enredo “Monstro É Aquele Que Não Sabe Amar. Os Filhos Abandonados da Pátria Que os Pariu”.

O título foi decidido na penúltima nota do último quesito. A Tuiuti foi a vice-campeã de 2018 com uma diferença de 1 décimo na classificação, seguida de Salgueiro (3º), Portela (4º) e Mangueira (5º).  

A Império Serrano e a Grande Rio, penalizadas durante os desfiles, foram as duas escolas rebaixadas do Grupo Especial.

Desfile Campeão

A Beija-Flor traçou um paralelo entre as injustiças sociais do país e a criação do monstro Frankenstein. As alas mostraram o abandono da população, vítimas de balas perdidas, corrupção, intolerância e outros casos de violência em um desfile dramático que conquistou os espectadores pela emoção.

O ator Edson Celulari veio no carro abre-alas da escola representando Dr. Victor Frankenstein, Pabllo Vittar foi destaque do penúltimo carro, que fez uma crítica à intolerância e preconceito contra a comunidade LGBT. A funkeira Jojo Todynho marcou presença em outra alegoria sobre racismo e xenofobia.