0:00
0:00

Conheça uma história de comemoração de vida em “Até que o câncer nos separe”

  • Por Izilda Alves/Jovem Pan
  • 20/07/2016 18h28
ReproduçãoReproduçãoAté que o Câncer nos Separe

Minha amiga Ruth Rendeiro é uma guerreira. Superou a dor de ver o marido morrer de câncer. E transformou a história do casal numa comemoração da vida. “Até que o câncer nos separe”. A primeira edição já esgotou. E a segunda foi financiada pelo Bookstart, plataforma de financiamento coletivo focada no mercado editorial. Logo na abertura, a autora, uma exímia contadora de histórias, adverte: “aqui não tem ficção. Cada vírgula foi vivida. Não há fantasia. É realidade pura e crua. As gargalhadas existiram As lágrimas de fato correram pelo rosto.”

Li a história de Ruth e Manoel nesta madrugada. É tão bonita que você não para de ler. No amor do casal, verdades, delicadezas, fascínio. Com a notícia do câncer, leucemia mieloide aguda, Manoel despenca vai ao chão e chora. O silêncio é um pedido de socorro. Ele com câncer, ela com câncer de mama.

Uma história que revela como nossa vida pode mudar de repente. Perdas e ganhos, lição para quem vive reclamando da vida. Ao ler o livro, me lembrei do sorriso de minha amiga Ruth Rendeiro, mulher de força espantosa, a quem desgraças não acabam com sua imensa capacidade de entender o outro, de fazer bem ao outro e , principalmente, nunca deixar de buscar a felicidade. Uma mulher rara. Por isso muito especial. Capaz de se doar ao escrever o livro da sua vida, “Até que o câncer nos separe”. E forte para descrever morte , despedidas, lembranças, saudades.

Quando terminei de ler o livro, já amanhecia . Fiz um café , abri a janela e comemorei a vida. Como é bom estar com meu filho, na minha casa, com saúde, e uma imensa vontade de fazer feliz mesmo quem não se permite esse sentimento. Obrigada, minha querida Ruth, por esta lição de esperança, de valorização dos pequenos momentos de felicidade na vida. Um forte abraço e toda a minha admiração.