Após foto polêmica, responsável por vídeo de Waack nega invasão: “fui buscar documento no RH”

  • Por João Guimarães/Jovem Pan
  • 06/12/2017 14h52
ReproduçãoA foto de Rocha sentado na bacada do jornal parece, de fato, uma provocação direta ao jornalista William Waack. No entanto, o operador de VT afirma que não teve essa intenção

Responsável pelo vazamento do polêmico vídeo em que o jornalista William Waack faz um comentário considerado racista, o operador de VT Diego Rocha Pereira voltou a movimentar o noticiário nesta quarta-feira (06).

Uma foto em que aparece sentado na bancada do Jornal da Globo – o mesmo que era comandado por Waack – circulou nas redes sociais e está sendo noticiada como um enorme “mal-estar” nos bastidores da emissora, pois Rocha teria entrado sem ser notado na emissora.

Em entrevista exclusiva a Jovem Pan, Rocha afirma que não invadiu ou entrou sem que ninguém percebesse. Ele tinha um compromisso com o departamento de Recursos Humanos da empresa e, segundo sua versão, foi liberado normalmente para entrar nas dependências. “Fui pegar documentos no RH referentes ao período em que trabalhei lá”. “Era um compromisso marcado e eu fui liberado normalmente na portaria da emissora”, esclarece.

Ainda de acordo com a sua explicação, não houve clima ruim com a sua entrada. “Eu trabalhei sete anos da Globo. Entrei, cumprimentei meus amigos e dei uma volta na empresa”, conta.

Crachá que, segundo Diego, teria sido usado após a liberação de sua entrada na emissora.

Provocação

A foto de Rocha sentado na bancada do jornal parece, de fato, uma provocação direta ao jornalista William Waack. No entanto, o operador de VT afirma que não teve essa intenção e muito menos queria causar um mal-estar. “Foi uma brincadeira com meus amigos. Do tipo: ‘se me chamarem pra trabalhar eu vou’. Meu problema nunca foi com a emissora. A divulgação do vídeo foi para discutir o racismo”, diz.

Apesar disso, a foto está circulando em diversos sites de notícias durante essa quarta-feira. Questionado se ele foi o responsável por divulgar também essa foto, Rocha nega que tenha sido proposital. Ele diz acreditar que, após a exposição que ganhou na época da divulgação de vídeo, existam muitos jornalistas o seguindo nas redes sociais. “Alguém viu a foto e publicou. Essa história de devassa nas câmeras, mal-estar nos bastidores é um ‘achismo’. Eu fui liberado pra entrar”, diz.

O caso 

No vídeo polêmico,  o jornalista William Waack se prepara para uma entrevista durante a cobertura das eleições norte-americanas do ano passado, quando alguém na rua começa a disparar uma buzina. Contrariado, ele xinga a pessoa e depois solta um comentário que aparentemente diz: “é coisa de preto”.

Após as acusações de racismo contra William Waack, a Rede Globo decidiu afastar o jornalista do comando do “Jornal da Globo”. A emissora disse ser contra qualquer tipo de manifestação racial e que o veterano de 65 anos ficará longe de suas atividades até que a situação seja esclarecida.

O noticiário está sendo comandado pela jornalista Renata Lo Prete.