Morre, aos 88 anos, o cineasta italiano Vittorio Taviani

  • Por Estadão Conteúdo
  • 15/04/2018 15h52
DivulgaçãoVittorio Taviani e o irmão Paolo Taviani em bastidores de "La masseria delle allodole (2007)"

Morreu em Roma, aos 88 anos, o cineasta Vittorio Taviani que, com seu irmão Paolo, assinou alguns dos mais notáveis filmes italianos das últimas décadas. O mais famoso é Pai Patrão, que recebeu a Palma de Ouro no Festival de Cannes de 1977.

Ao todo, a dupla assina 15 longas-metragens, como A Noite de São Lourenço, Kaos, Bom Dia Babilônia, As Afinidades Eletivas e etc. Com prisioneiros de um cárcere romano, encenaram Shakespeare em César Deve Morrer. E na última obra, Maravilhoso Boccaccio, retornam ao clássico Decamerão para falar da nossa sociedade contemporânea.

Fortemente influenciado pelo neorralismo, a escola italiana do pós-guerra, Vittorio, junto com seu irmão, centrou seu cinema em temas sociais, mas adicionou a ele uma gloriosa pitada de poesia, que se traduzia em imagens magníficas, que permanecem em nossas retinas.

O cinema italiano fica mais pobre com a morte de Vittorio. Mas não apenas o cinema italiano, pois Taviani passou a ser um nome internacional, imprescindível, uma marca registrada do cinema de cunho humanista.