0:00
0:00

Apesar da 3ª eliminação, Ceni garante que não vai abrir mão de suas convicções

  • Por Estadão Conteúdo
  • 12/05/2017 09h24
Luis Moura / WPP / Estadão ConteúdoLuis Moura / WPP / Estadão ConteúdoRogério Ceni amargou a sua terceira eliminação em sua carreira como técnico

Rogério Ceni amargou a sua terceira eliminação em sua carreira como técnico

Apesar de mais uma eliminação em sua curta carreira de técnico, o técnico Rogério Ceni garantiu que não pretende abrir mão de suas convicções no comando do São Paulo. Desde que chegou, ele reforça que vai sempre colocar o time para frente e exigir que seus jogadores busquem o ataque a todo momento. Para ele, essa é sua receita de futebol.

“O que mostra que estou no caminho são os 45 gols feitos até agora. As convicções são de um time que ataca bem, que vai tentar se recompor mais rápido. O que mais importa são as eliminações, mas a campanha em si não é das piores. As eliminações, sim, são preocupantes no sentido de que não conseguimos chegar. Nos resta o Brasileiro e temos que focar”, afirmou após o empate por 1 a 1 com o Defensa y Justicia, resultado que eliminou o São Paulo na primeira fase da Copa Sul-Americana.

Para o comandante, a eliminação para um time sem tradição não é vergonhosa. “Não acho que foi vexame, mas quem quer que fosse o adversário, a gente vem aqui sempre para vencer os jogos. De 12 partidas aqui, perdemos duas já. Desta vez não perdemos, mas não conseguimos a classificação. O adversário é um time bem armado taticamente”, comentou.

Ceni evita falar que se não fosse um ídolo do clube, talvez já estivesse fora dos planos no São Paulo. Para ele, o que está sendo avaliado é seu trabalho como um todo. “As pessoas analisam o trabalho do dia a dia e a dedicação que tenho. Fomos eliminados em três competições e disputamos fases decisivas em dias sequenciais. Pressão sempre existe, é natural”, concluiu.