0:00
0:00

Assista ao vivo

Como morte trágica de irmão inspira convertido Jô em retorno ao Corinthians

  • Por Jovem Pan
  • 14/11/2016 17h47

Revelado pelo CorinthiansDaniel Augusto Jr./Agência CorinthiansRevelado pelo Corinthians

Atleta mais jovem a marcar um gol com a camisa do Corinthians, Jô está de volta ao clube que o revelou. Onze anos depois de deixar o Parque São Jorge rumo ao futebol russo, o centroavante foi o primeiro grande reforço contratado pela diretoria alvinegra para a próxima temporada.  

Assim que acertou o retorno ao Corinthians, o jogador de 29 anos abriu o coração. Revelou que havia superado os problemas com o álcool depois de se converter à religião evangélica e garantiu que, a partir de então, tinha se transformado em um “novo homem”.  

O que Jô não contou é que uma tragédia familiar vai inspirá-lo a, enfim, dar alegrias aos torcedores alvinegros – que pouco viram o atacante brilhar com a camisa corintiana entre 2003 e 2005, durante os primeiros anos do então jovem atacante como profissional.

Tudo aconteceu em 2002. 

Então com 15 anos, Jô disputava uma partida do Campeonato Paulista Juvenil quando viu o pai, Dario, deixar as arquibancadas do Parque São Jorge esbaforido. 

Esta é mais doce lembrança que o atacante tem daquela longínqua manhã de domingo, em São Paulo. 

As horas que se sucederam à partida, afinal, foram as piores da vida do jogador. Ainda no vestiário, Jô ligou para o pai e recebeu a informação que nunca gostaria de escutar: o seu irmão mais velho havia acabado de morrer. 

Ídolo de Jô, Jean voltava da casa de um amigo por volta das 7h quando se envolveu em um acidente de carro. Não resistiu. Morreu aos 20 anos, tendo interrompido o sonho de também se tornar jogador de futebol – à época, Jean pertencia ao time B do Corinthians e estava se recuperando de uma lesão no joelho.

A tragédia transformou a vida de Jô. O irmão mais velho, afinal, era a pessoa mais próxima do então jovem menino que se destacava nas quadras de futsal de São Paulo. Jô e Jean não se desgrudavam. Sonhavam em jogar futebol profissionalmente e tinham a certeza de que, um dia, formariam a dupla de ataque do time principal do Corinthians.  

Realizar este último desejo, infelizmente, não foi possível.

Mas Jô tem a convicção de que Jean segue caminhando ao seu lado – tanto que, a cada gol marcado, olha para cima, aponta o dedo para o céu e dedica o momento a ele.

Como conta a matéria especial de André Ranieri, da Rádio Jovem Pan, o novo atacante alvinegro usou a morte do irmão como motivação para vingar no tão concorrido mundo do futebol – desde quando impediu o pai de vender a cama de Jean até o momento em que sentiu a presença do irmão dentro de campo.

Ouça, abaixo, a matéria especial de André Ranieri sobre Jô: