0:00
0:00

À espera da Crefisa, Mattos se assusta com valores de Borja: “para China e olhe lá”

  • Por Jovem Pan
  • 27/12/2016 14h28
Cesar Grecco/FotoarenaCesar Grecco/FotoarenaDiretor de futebol do Palmeiras

Diretor de futebol do Palmeiras

Diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos participou do Esporte em Discussão desta terça-feira e falou sobre a busca de reforços para a próxima temporada. O dirigente pediu para os torcedores “não criarem expectativas que não serão cumpridas” e comentou sobre as possíveis contratações de Alejandro Guerra, Felipe Melo e Miguel Borja. 

De acordo com Mattos, o Palmeiras está em busca de “uma, duas ou três pecinhas” com “um perfil um pouco diferente” para a disputa da Libertadores do ano que vem. Guerra e Felipe Melo, segundo o diretor, estão dentro dos planos – o acerto com o venezuelano, inclusive, já foi até anunciado pelo clube alviverde na noite desta terça-feira.

São dois bons jogadores, que estão dentro deste raciocínio de modificar um pouquinho o perfil de um ou outro jogador para a Libertadores. Nós estamos trabalhando para fazer um ganho desses jogadores que entendemos que podem agregar ao nosso elenco, que já é bom“, explicou Mattos.

Sobre a possível contratação de Miguel Borja, atacante de 23 anos campeão da Libertadores com o Atlético Nacional, Alexandre Mattos preferiu adotar a cautela. O diretor de futebol do Palmeiras contou que fez um contato com o time de Medellín há dois meses e disse que se assustou com os valores pedidos pelo clube para liberar o jovem centroavante colombiano.

A tendência é que o Palmeiras só tente contratá-lo se renovar com a Crefisa e contar com uma ajuda financeira da patrocinadora.

“O Borja é um dos poucos jogadores em quem o Palmeiras realmente demonstrou interesse. Foi em outubro. Eu liguei para o Atlético Nacional para saber da possibilidade, e os valores falados foram absolutamente fora de qualquer cenário do Brasil. Não sei nem se para a Europa. Pelo que me falaram, é China e olhe lá”, contou Mattos.

Segundo o dirigente, o Palmeiras só vai entrar na briga por contratações de “milhões e mais milhões” depois da provável renovação com a Crefisa. De acordo com o próprio Alexandre Mattos, ela “tende a acontecer em janeiro”.

Se as negociações não prosperarem, o clube alviverde vai, então, satisfazer-se com os jogadores que fizeram parte do elenco campeão brasileiro em 2016. 

“O que posso dizer é que sabemos das nossas necessidades, mas não podemos menosprezar os atletas que temos no nosso elenco, inclusive na posição do Borja. Temos Alecsandro, Barrios… Então, vamos valorizar quem está aqui. E, se possível, depois da renovação com o nosso patrocinador, o Palmeiras vai atacar, caso necessário, essa e outras posições. Estamos trabalhando apenas dentro do nosso orçamento”, finalizou.

Só vende se for interessante 

Ainda durante a entrevista exclusiva à Rádio Jovem Pan, Alexandre Mattos indicou que o Palmeiras não vai sofrer grandes perdas na próxima janela de transferênciasSegundo o dirigente, o clube alviverde chegou a um patamar financeiro que o permite ter o poder de decisão na negociação de atletas. Ou seja: de acordo com Mattos, o atual campeão brasileiro só vai realizar vendas que lhe interessarem.

Não perderemos jogadores… A não ser que seja do interesse do Palmeiras. Hoje, temos a felicidade de ter a caneta na mão. Neste momento, não temos avançada e nem negociada a saída de nenhum atleta. Elas podem acontecer, é claro, mas sempre dentro dos interesses do Palmeiras, como foi com o Gabriel Jesus, por exemplo. Não vai ter nenhuma situação que prejudique drasticamente o nível técnico do time dentro de campo“, encerrou.