0:00
0:00

Carille relembra “não” à China e garante: “pode vir caminhão de dinheiro que não saio”

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2017 14h27
Técnico Fábio Carille, do Corinthians, participou do Esporte em Discussão desta segunda-feira, na Rádio Jovem Pan

Fábio Carille só deixará o Corinthians se o Corinthians quiser. Foi isto, pelo menos, o que o próprio treinador garantiu nesta segunda-feira, em participação exclusiva no Esporte em Discussão, da Rádio Jovem Pan. Líder invicto do Campeonato Brasileiro, o técnico relembrou o dia em que recusou uma proposta da China e garantiu: não deixará o clube alvinegro por dinheiro nenhum do mundo.

“Não tem nenhuma chance de eu sair do Corinthians. Falo isso de coração, mesmo, e por gratidão. Só saio do Corinthians no dia em que me mandarem embora. Pode vir um caminhão de dinheiro que eu não saio! É um sonho estar trabalhando numa equipe desse tamanho no Brasil, e eu vou desfrutar desse sonho até o fim”, afirmou Carille.

O treinador foi alvo de uma investida do futebol chinês há cerca de um mês, mas não quis nem levar a conversa adiante. Nesta segunda, ele revelou como tudo aconteceu. “Foi na semana do jogo contra o Grêmio… Uma pessoa me procurou, queria me encontrar. Veio até São Paulo, nós nos encontramos no Tatuapé, em frente ao Hotel Ceret. Conversei com ele por volta de 20 minutos, mas cortei na hora… Ele veio com uma proposta para sair agora, e no momento eu já cortei. Foi a única coisa que apareceu. Não sei para que clube, só sabia que era para a China”.

Carille, cujo contrato vai até dezembro, também disse ter a consciência de que, apesar do bom trabalho, pode não ser mantido no Corinthians para a próxima temporada. O clube vai eleger novo presidente em março, e, por isso, o técnico pode não ter o vínculo renovado. Ele entende a situação.

“Tenho essa consciência. Sei que vou ter de esperar bastante para que o Corinthians tome uma decisão. A gente sabe que é ano de eleição. O Roberto (de Andrade, presidente do Corinthians) não vai tomar nenhuma decisão sem antes conversar com os outros candidatos. Estou muito ciente de tudo isso”.

“O Corinthians jogou como time pequeno? Sim!”

Por um rival? Jornalista? Dirigente? Não… A frase acima foi dita por Fábio Carille. O treinador, que assumiu o Corinthians em janeiro, admitiu que colocou a equipe para jogar como “time pequeno” nos primeiros meses do ano – e não se arrepende disso.

“Eu sabia que não ficaria (no cargo) se o início não fosse bom. Joguei por poucas bolas, mesmo. Armei o sistema defensivo com a participação de todos, e, depois, com os resultados, seria mais fácil trabalhar a parte ofensiva. Foi o que aconteceu”, afirmou. “Joguei como time pequeno? Sim! Joguei para não perder? Sim! Mas deu um resultado acima do esperado. São 24 ou 25 jogos no ano sem levar gol. Esses números me assustam”.

Técnico do Corinthians desde janeiro, Fábio Carille tem campanha irretocável à frente do time alvinegro. Em 41 jogos na temporada, soma 25 vitórias, 14 empates e apenas duas derrotas. A última delas aconteceu em 19 de março, para a Ferroviária, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. Desde então, foram 28 jogos, com 17 vitórias e 11 empates.