0:00
0:00

Como amor pelo Corinthians fez Vampeta batizar filho como “São Jorge”

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2017 14h58
Montagem sobre fotos/ReproduçãoÍdolo do Corinthians, Vampeta batizou o seu filho mais novo, de três anos, com o nome de "Marcos São Jorge"

Viagens, promessas, tatuagens… Existem diversas formas de se demonstrar amor por um clube. O que Vampeta fez, no entanto, supera qualquer limite. Em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta sexta-feira, na Rádio Jovem Pan, o ex-jogador revelou que batizou um de seus filhos com o nome de “São Jorge”. Foi a maneira encontrada pelo pentacampeão mundial para eternizar o seu amor e gratidão pelo Corinthians, clube que completa 107 anos neste 1º de setembro de 2017.

Vampeta exibiu até mesmo a certidão de nascimento do menino, que está prestes a completar quatro anos, para comprovar a história. “Eu tentei colocar o nome ‘São Jorge’, puro, mas não pode. Tem que colocar um nome na frente. Então, coloquei ‘Marcos’, que é o meu nome. Ficou ‘Marcos São Jorge'”, explicou o ídolo corintiano, que se chama Marcos André.

Fã de uma boa caipirinha, Vampeta disse que, ao contrário do que a história pode sugerir, ele estava sóbrio no momento em que decidiu dar o nome ao filho. “Eu fui registrar o menino sem tomar nada, oito horas da manhã. Chegamos lá eu e a família da mãe… O cara perguntou: ‘qual vai ser o nome do menino?’. A família dela já começou a falar, mas eu tomei a frente: ‘não, não, não… quem vai dar o nome sou eu! Eu que sou o pai! Eu quero o nome do santo do Corinthians, São Jorge!’. A família disse que não podia… O escrivão ficava olhava para um lado e para o outro”, divertiu-se.

“Eles falavam assim: ‘é bullying’. E eu rebatia: ‘não tem nada disso. O meu apelido é ‘Vampeta’ e não tem nada de bullying. Vai ser São Jorge!’. O próprio escrivão não queria. Ele falava assim: ‘ô, Vamp… Eu sou Corinthians, mas não pode, irmão!’. Eu perguntei como poderia, e ele disse que só se tivesse um nome na frente. Então, eu coloquei o meu nome na frente. Eram oito horas. Eu dizia que se desse oito e meia, eu iria embora e não registraria ninguém!”.

Essa história aconteceu em 2013. Marcos São Jorge, portanto, já está prestes a completar quatro anos de idade. E gosta do próprio nome. “Eu brinco com ele… Chego em casa e falo: ‘e aí, São Cosme e Damião!’. E ele responde na hora: ‘não é São Cosme, papai, é São Jorge!'”, gargalhou Vampeta, que também é pai de duas meninas.

Saiba mais sobre essa incrível história no vídeo abaixo!