As obras do estádio Arena da Baixada, em Curitiba, tiveram uma "importante evolução" desde que a Fifa ameaçou excluir a cidade da Copa do Mundo de 2014, afirmou nesta quarta-feira o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.


Rebelo visitou o estádio hoje, se reuniu com os responsáveis das obras e com autoridades do Paraná e garantiu que as obras serão concluídas a tempo.


"Naquilo que dá para se notar a olho nu, já é importante a evolução da cobertura. Toda a grama já foi plantada. Agora o que falta são obras de acabamento. Não há obra estruturante por fazer. O que ainda precisa ser feito dá para ser concluído a partir da intensificação de mão de obra", disse o ministro em Curitiba.


O presidente do Atlético Paranaense, Mário Celso Petraglia, afirmou que foi feito um aumento de 40% no número de operários nas obras, depois da ameaça da Fifa. Em dezembro, cerca de 1.200 operários trabalhavam na construção em dois turnos.


O prazo inicial dado pela Fifa para a conclusão das obras de todos os estádios era dezembro do ano passado. Em janeiro, a Fifa ameaçou tirar a capital paranaense da Copa se as obras não fossem agilizadas, e fixou para o próximo dia 18 uma inspeção de técnicos que decidirá se mantém o estádio ou não.


Até agora, sete estádios foram inaugurados e outros cinco estão em fase de conclusão. O mais atrasado é o de Curitiba.


A Arena Amazônia (Manaus) e o Estádio Beira-Rio (Porto Alegre) estão praticamente prontos, com previsão de inaugurarão para este mês, enquanto as autoridades esperam concluir a Arena Pantanal , de Cuiabá, em março, e a Arena Corinthians em abril.