Fred teve uma atuação histórica nesta quinta-feira. Em menos de 20 minutos, o atacante marcou quatro gols e facilitou um jogo que parecia ter se complicado, ainda mais após o boliviano Sport Boys chegar a abrir 2 a 1, no estádio Independência, em Belo Horizonte, pela Copa Libertadores. Assim, o Atlético Mineiro escapou de uma eventual derrota para uma impressionante goleada por 5 a 2.

O resultado deixou a equipe na liderança do Grupo 6, após duas rodadas, com os mesmos quatro pontos do argentino Godoy Cruz. Já o Sport Boys segue com um e divide a última posição com o Libertad, do Paraguai.

Na próxima quarta-feira, em Assunção, o Atlético irá encarar o Libertad, enquanto que o Sport Boys irá jogar novamente fora de casa, na quinta, contra o Godoy Cruz. Antes, contudo, o time brasileiro encara a URT neste domingo, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, pela primeira semifinal do Campeonato Mineiro.

Depois de empatar a sua primeira partida na Libertadores, contra o Godoy Cruz, o Atlético entrou em campo nesta quinta-feira precisando da vitória. E, para isto, o técnico Roger Machado apostou em uma novidade: Luan, escalado pela primeira vez como titular no ano após se recuperar de uma grave lesão no joelho.

A princípio, ao menos, a estratégia deu certo. Com um time visivelmente mais rápido, especialmente pela velocidade de Luan, o Atlético começou pressionando pelas pontas. E, logo aos quatro minutos, em uma jogada pela lateral direita, Marcos Rocha cruzou mal, para ninguém, mas o goleiro Carlos Arias se atrapalhou e soltou a bola nos pés de Robinho. Sozinho, o atacante só empurrou para as redes.

Parecia um jogo dominado. O time da casa seguiu melhor e controlava o jogo, quase sem ser pressionado, até que tudo mudou aos 10 minutos: em um ataque esporádico do Sport Boys, Capdevilla cruzou e Carlos Tenorio, ex-Vasco, ganhou de Gabriel e cabeceou no canto, com muita precisão, para empatar o placar.

O gol inesperado derrubou a calma do Atlético. A velocidade, aos poucos, virou afobamento. O próprio Luan precisou ser substituído ainda no primeiro tempo, após sentir dores, e aumentou mais a angústia atleticana. A equipe não criava. E voltou a assustar somente aos 43 minutos, quando Robinho recebeu dentro da área, tentou um voleio e furou o chute.

O pesadelo parecia que seria ainda pior no segundo tempo. Logo aos dois minutos, Fred teve a bola nos pés dentro da pequena área, com o gol aberto. O artilheiro do time, contudo, isolou. E, pouco depois, em nova jogada aérea, Messidoro ganhou dos zagueiros, fez o segundo do Sport Boys e calou o Independência.

Sem mais o que fazer, Roger Machado sacou Otero, colocou Rafael Moura e mandou o time totalmente ao ataque. No abafa, sem muita criatividade, o Atlético tentava. E, na raça, como é mais adequado à Libertadores, chegou à virada em menos de três minutos. Primeiro, aos 26, Rafael Carioca bateu de fora da área e Fred desviou para o gol. E, aos 29, ele recebeu de Elias sem marcação, novamente dentro da área, e garantiu a virada. Se fazia até então uma partida apagada, o atacante se tornou o nome do jogo em poucos minutos.

Já no fim da partida, de cabeça, Fred marcou o quarto do Atlético Mineiro. E, nos acréscimos, de fora da área, anotou o seu quarto no jogo e consagrou uma das mais brilhantes atuações de sua carreira.