A Chapecoense conquistou um importante resultado dentro de campo quando bateu o Lanús por 1 a 2, na Argentina, pela 5ª rodada do grupo 7 da Libertadores. A equipe brasileira foi aos 7 pontos e manteve a chance de avançar à próxima fase. Mas a eliminação pode ser decretada fora das quatro linhas, graças a escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio, autor do gol da vitória.

Em entrevista à Jovem Pan Online, o vice-presidente jurídico da Chapecoense, Luiz Antônio Pallaoro, revela que o clube não foi notificado pela Conmebol em relação a punição de três partidas pelo atleta ter sido expulso contra o Nacional-URU, e segue “tranquilo” quanto a possível eliminação do torneio. “Nós vamos fazer a nossa defesa na segunda-feira às 14hs, que foi o prazo dado pela Conmebol. Repito que não recebemos nada oficial que informasse sobre a suspensão do jogador”, declarou.

O departamento jurídico do clube alega que nenhuma informação chegou, embora a entidade afirme que a notificação foi enviada por e-mail. No entanto, o documento teria sido encaminhado para um endereço desconhecido, que não está cadastrado na CBF.

Questionado se a Chapecoense não procurou saber mais detalhes do julgamento de Luiz Otávio, Pallaoro revela que a Conmebol costuma não informar datas para os julgamentos. “Eles não dizem quando acontece. É um julgamento monocrático – somente com um juiz e sem testemunhas – aí, eles definem a punição e informam ao clube. Me parece que nosso caso foi julgado no dia 10, e desde então não chegou nada”, afirma o vice-presidente jurídico.

No entanto, a Chapecoense tomou ciência do fato apenas horas antes da partida da última quarta-feira, e mesmo assim "bancou" a escalação. Assim, os membros do Lanús passaram a acompanhar a situação do clube catarinense, que corre o risco de eliminação. “O Departamento de futebol foi informado ainda no vestiário, mas, nós, do jurídico fomos notificados apenas na manhã de ontem (quinta-feira)”, destaca.

Pallaoro rechaça ainda qualquer hipótese de má fé da Conmebol, tampouco teme que o peso da camisa de outras equipes interessadas no caso (Lanús e Nacional-URU) interfira no mérito da questão. “Não acredito nisso. Nós vamos apresentar a defesa e a Conmebol vai saber optar pela justiça”, finaliza.

Erro de comunicação

O zagueiro Luiz Otavio foi expulso na derrota por 3 a 0 diante do Nacional-URU, em 27 de abril, e teria que cumprir a suspensão automática na próxima partida da Conmebol. A Chapecoense então o retirou da decisão da Recopa contra o Atlético Nacional, em 10 de maio, acreditando que ele estaria apto para entrar em campo já no confronto seguinte da Libertadores.

A suspensão, poré, segundo a entidade, é de três jogos. Ou seja, ele teria ainda mais dois a cumprir, e não poderia ser escalado diante do Lanús, na última quarta-feira.

Assim, a punição seria a derrota por 3 a 0 em função da escalação irregular, conforme determina o regulamento da Conmebol, o que automaticamente eliminaria a equipe catarinense do torneio.