O Lanús apresentou à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) a reclamação formal pela escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio, da Chapecoense, no jogo entre as duas equipes na noite de quarta-feira, em Buenos Aires, pela Copa Libertadores. A equipe argentina tenta reverter a derrota por 2 a 1 com base no regulamento disciplinar da entidade, que prevê a aplicação de uma derrota por 3 a 0 para o clube autor da infração.

Em contato com o Estado de S. Paulo, a equipe argentina afirmou já ter acionado a Conmebol pelo seu presidente, Nicolás Russo. Caso se confirme a alteração do resultado de uma vitória da Chapecoense para a declaração de uma derrota, a equipe catarinense não terá mais chances de se classificar para as oitavas de final da competição. O site oficial da entidade, porém, ainda mostra a tabela com a contagem do resultado de 2 a 1.

A diretoria do Lanús se apressou em fazer a reclamação pois em caso de vitória, o time estará classificado para a próxima fase. Além disso, o regulamento disciplinar da Conmebol afirma que o prazo para uma equipe contestar a escalação irregular de um jogador é de até 24 horas após o término o apito final. O jogo em Buenos Aires acabou por volta das 23h50 desta quarta.

A Conmebol explicou que ainda não há uma definição sobre o tema porque é necessário o Comitê Disciplinar da entidade receber a súmula do árbitro e relatórios do delegado da partida. A entidade garante ter enviado à Chapecoense por e-mail o aviso da suspensão do zagueiro Luiz Otávio por três partidas, informação que é negada pelo clube.

O presidente do time catarinense, Plínio David de Nês Filho, o Maninho, disse em entrevista coletiva em Buenos Aires ter provas de que o clube não recebeu e-mail sobre a punição de três jogos aplicada ao zagueiro pela expulsão na derrota por 3 a 0 para o Nacional, em Montevidéu. O dirigente explicou que Luiz Otávio foi liberado para o jogo em Buenos Aires porque cumpriu a suspensão automática na final da Recopa Sul-Americana, na semana passada, contra o Atlético Nacional.