Atletas do Corinthians falam em “mimimi” palmeirense na polêmica sobre o dérbi

  • Por Estadão Conteúdo
  • 11/04/2018 16h30
Daniel Augusto Jr./Agência CorinthiansRenê Junior se envolveu em polêmico no primeiro dérbi de 2018

De volta às atividades no CT Joaquim Grava após dois dias de folga, os jogadores do Corinthians não tiveram como escapar na manhã desta quarta-feira (11) das perguntas a respeito da polêmica envolvendo a final do Campeonato Paulista, conquistada no último domingo. Diante do pedido de impugnação da partida feito pelo Palmeiras, que alega interferência externa no jogo, os campeões alvinegros lamentaram o episódio.

“Não há como não ficar chateado. É muito mimimi. A cara de quem perde nunca é igual a de quem ganha. Comemoramos quando podíamos e agora viramos a chave para o Brasileiro. Isso é uma falta de respeito, desmerecendo todo um trabalho, tudo o que temos feito, concentrando, acordando cedo, abrindo mão de estar com nossa família. Não só a gente, mas todo mundo que está envolvido no clube”, disparou o volante Renê Júnior

“É uma falta de respeito com o Corinthians, mas não temos muito o que falar, porque ganhamos. Vindo do clube deles a gente tem que esperar qualquer coisa. No primeiro jogo ganhamos de 2 a 0 e falaram que foi roubado”, declarou o jogador, referindo-se ao jogo disputado na primeira fase do Estadual.

Ele se referiu à partida entre os dois rivais na primeira fase do campeonato, quando se envolveu em lance também recheado de controvérsia. Na ocasião, o árbitro Raphael Claus não marcou falta do goleiro Jailson em Renê Júnior no primeiro momento. Depois, voltou atrás e não só assinalou pênalti a favor dos corintianos na jogada, como ainda expulsou o goleiro palmeirense

Nas duas ocasiões, o Palmeiras reclama de suposta interferência. A diferença é que agora o clube alega ter como provar que a arbitragem foi influenciada por opiniões de quem estava fora do campo para mudar uma marcação – no caso, um pênalti de Ralf em Dudu marcado inicialmente pelo árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e, após mais de sete minutos de paralisação e muita confusão, anulado. O Corinthians venceu o jogo por 1 a 0 e, nos pênaltis, garantiu o 29º título estadual de sua história.

“É uma coisa totalmente desnecessária, até porque o quarto árbitro estava do nosso lado e falou ‘bola’ na hora do lance. Então, ele já estava com a opinião e apenas ajudou o árbitro número um a tomar a decisão. Foi uma decisão certa da arbitragem, ele se equivocou em marcar o pênalti e depois voltou atrás. O jogo teve 180 minutos, foi bem jogado, brigado pelo tamanho que é, e são coisas que acontecem em uma decisão. Mas acho que pedir a impugnação do jogo, tirando o mérito do nosso título, é totalmente vergonhoso”, comentou o também volante Gabriel, ex-jogador do Palmeiras.

“Esse mimimi sempre vai acontecer. Eles perderam, é difícil aceitar a derrota. Quer dizer que, se eles fizessem o gol no pênalti que todo mundo viu que não aconteceu, o campeonato iria ser manchado por causa disso? A posição do juiz foi correta, mesmo com a demora eles acertaram”, opinou o meia Mateus Vital.