Matheus Izidorio Leoni, definitivamente, não é um jogador conhecido. Nem no Brasil, seu país-natal, nem na Suíça, onde está há menos de um ano. O lateral-esquerdo de 25 anos, no entanto, tem história para contar. Amigo de Alex Sandro, titular da Juventus finalista da Liga dos Campeões, Leoni passou até por um time que não se entristecia nem com derrotas.

Então com 19 anos, o brasileiro foi contratado pela equipe para disputar a terceira divisão nacional. O problema, no entanto, é que o elenco gostava tanto da bebida mais tradicional da Alemanha que não se continha nem em dia de jogo. 

"Como as cidades eram muito próximas, a gente viajava no dia dos jogosE os meninos iam bebendo cerveja no ônibus...", revelou Matheus Leoni, em entrevista exclusiva a André Ranieri, para a Rádio Jovem Pan. "Eram situações inimagináveis... Na volta, independente do resultado, eles bebiam cerveja, também. Ganhando ou perdendo, o nosso time estava sempre alegre", brincou. 

Leoni não se inclui nesta história  afinal, não bebe. Mas, em outra, que envolve comida, e não bebida, sim. Como o Rehden não concentrava antes das partidas, os jogadores tinham de se alimentar no caminho para os jogos, em plena estrada. A solução era apelar às tradicionais marmitas.

"Dava o horário estipulado por eles, e o pessoal parava no meio da estrada, mesmo. Os caras da comissão levavam duas panelas, e cada um pegava o seu prato plástico para comer... No ônibus, mesmo. Era quase que uma marmitinha", diverte-se. 

Hoje, Leoni atua no desconhecido Neuchatel Xamax, vice-líder da segunda divisão suíça. No Brasil, o lateral-esquerdo passou por Sesi, CFA, Assel e Ariquemes (todos de Rondônia), além de PSTC-PR, Coritiba, Atlético-PR, Vitória da Conquista, Salgueiro e Figueirense. A amizade com Alex Sandro nasceu nas categorias de base do Atlético-PR.