Após ter chegado ao quarto jogo sem vencer, o Corinthians empacou na tabela de classificação do Brasileirão. O time é o sexto colocado e está cinco pontos distante do G-4 do torneio. O técnico Tite admitiu que faltou calma para equipe na hora de concluir as oportunidades criadas e descartou, mais uma vez, que o elenco esteja desmotivado.


Principalmente durante a primeira etapa da derrota diante do Goiás, os atacantes corintianos, Paolo Guerrero e Alexandre Pato, perderam muitos gols. Para Tite, faltou tranquilidade aos atletas de frente. "Tivemos cinco ou seis chances muito vivas. Precisamos de muita calma nesse momento, foi justamento o que eu tentei passar para os atletas nessa semana. A necessidade do resultado fica imperiosa e daqui a pouco a precisão do movimento ela se perde. Faltou a calma e a concentração no último lance", analisou.



Questionado se o elenco não está motivado por já ter obtido muitas conquistas, o treinador negou veementemente. "Não é vontade que faz o futebol. Se for assim, sempre que os dois tiverem vontade o jogo vai terminar em empate. O futebol não é assim, tem muito mais riqueza de detalhes do que isso", disse.


A equipe pauslita somou apenas um ponto dos últimos 12 disputados. Por isso, Tite disse entender as críticas vindas das arquibancadas. "Respeito o sentimento do torcedor. O importante é buscar uma vitória para criar uma sequência. Passo a passo e jogo a jogo", declarou.


Tite não corre riscos


Ciente da realidade do futebol brasileiro, que privilegia essencialmente a conquista de vitórias, Tite se disse tranquilo por saber que o Corinthians vem utilizando um pensamento diferente, à longo prazo. "Isso me dá orgulho da equipe onde eu trabalho, da equipe onde eu visto a camisa. Sabendo do quanto é exposo o técnico, da cobrança que há em cima dele. Felizmente eu sou um cara que tenho uma formação que julgo legal, que mesmo quando tudo está fervilhando, mater uma coerência e uma educação. Sei da responsabilidade da figura publica. Do grau de importância de ser técnico", afirmou.


O diretor de futebol do time, Duílio Monteiro Alves, deu a entender que o treinador não corre riscos, mas descartou falar em renovação no atual momento da temporada. "Temos um contrato até o fim do ano com o Tite e só vamos pensar em renovação após o fim do campeonato, como foi em todos os anos. Agora não é momento de pensar nisso e sim de trabalhar para voltar a vencer", encerrou.


Ouça Tite, Duílio Alves e mais informações do Corinthians com o repórter JP Wanderley Nogueira no áudio acima.