Depois de ser punido com multa de R$ 30 mil pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na quarta-feira, pelo uso de sinalizadores na partida contra o Internacional, no dia 19 de abril, pela Copa do Brasil, o Corinthians fez um apelo à torcida alvinegra para que o artefato não seja mais utilizado nas arquibancadas do Itaquerão. Segundo o clube, o prejuízo já é de mais de R$ 110 mil entre 2016 e 2017.

"O Corinthians vem a público solicitar, uma vez mais, que os torcedores não acendam sinalizadores dentro da Arena. O Corinthians apoia toda e qualquer manifestação pacífica oriunda de sua torcida, desde que a mesma não interfira na segurança dos torcedores dentro do estádio ou prejudique o clube", disse a diretoria corintiana, em nota.

"A utilização de sinalizadores por torcedores nas arquibancadas da Arena Corinthians já renderam ao clube, entre 2016 e 2017, multas que ultrapassam os R$ 110 mil. Na final do Campeonato Paulista, no último domingo, torcedores com sinalizadores foram identificados em diversos setores do estádio, incluindo camarotes", destacou o clube.

O Corinthians destacou a reincidência do caso depois que torcedores corintianos voltaram a acender sinalizadores no último domingo, diante da Ponte Preta, na final do Campeonato Paulista. O ato foi relatado pelo árbitro Leandro Bizzio Marinho na súmula da decisão. "Informo que antes de iniciar a partida no setor norte do estádio acenderam sinalizadores, e também aos 80 minutos de jogo, não atrapalhando o andamento da partida", escreveu. 

Dessa forma, o Corinthians está novamente sujeito à punição. Além das multas, o clube reconhece que as sanções podem ser mais severas, por exemplo, com perda de mando de campo, principalmente nas competições organizadas pela Conmebol, como a Copa Sul-Americana. 

No julgamento de quarta-feira, o advogado João Zanforlin defendeu que houve prevenção e repressão, contratação de policiamento e que o clube faz campanhas de apelo ao torcedor. Relator do processo, o auditor Eduardo Mello proferiu o voto. "Apesar dos policiais estarem lá para coibir, a responsabilidade da torcida é do próprio clube. Apesar do esforço em se identificar os infratores não é possível absolver o clube. Condeno o Corinthians ao pagamento de multa de R$ 30 mil, pela reincidência", justificou.