O Internacional que caiu para a Série B será praticamente o mesmo Internacional que vai lutar pelo retorno à elite nacional. Foi isto, pelo menos, o que garantiu o novo técnico colorado. Em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta sexta-feira, Antônio Carlos Zago revelou que pelo menos 70% do elenco rebaixado em 2016 será mantido para o ano que vem. 

"O jogador de futebol é pago para jogar Série A, B, C... Ele tem que encarar isso com o máximo de profissionalismo possível. Acho que 70, 80% do elenco do ano que vem vai ser formado por jogadores que caíram. Então, tem que ter essa motivação para voltar. Não sei o que aconteceu em 2016 e nem quero saber. O mais importante, para mim, é que esses jogadores rendam tudo aquilo que eu vejo que podem render. Alguns têm até nível de Seleção", afirmou. 

O treinador, que fez um bom trabalho no Juventude e foi apresentado no Inter há duas semanas, disse que já começou a trabalhar no planejamento para 2017. Zago ficou até a sexta-feira passada em Porto Alegre e revelou que, por um bom desempenho na nova temporada, vai pedir aos jogadores para esquecerem o inédito rebaixamento à segunda divisão nacional.

"Eu ainda não tive contato com os jogadores. Mas a melhor coisa é esquecer o que aconteceu em 2016. Recomeçar o trabalho. É uma nova etapa na história do clube. O Inter tem um bom elenco e vai tentar mudar o mínimo possível. Com mais algumas peças, temos totais condições de voltar à Série A", avaliou.

Até o momento, apenas o atacante Roberson, do Juventude, foi contratado para a próxima temporada. O ídolo Andrés D'Alessandro, que estava no River Plate, voltou de empréstimo e, de acordo com Zago, vai disputar a Série B em 2017 – nos últimos dias, surgiu a possibilidade de o jogador se transferir para o Colo-Colo, do Chile. 

"O D'Alessandro tem um ano de contrato com o Inter. Conversei com ele na semana passada, quando ele organizou um jogo beneficente em Porto Alegre, e a intenção dele é permanecer no Inter", revelou o treinador. 

"O D'Alessandro é um jogador que está entre os três maiores ídolos da história do clube e tem o carinho da torcida e dos outros jogadores. Na minha opinião, por aquilo que fez no River neste ano, tem totais condições de fazer a diferença no Inter em 2017", finalizou.