"Gente... Chegou a hora! Chegou o tão sonhado momento! Chegou... Contra uma equipe que não é imbatível. Contra uma equipe que tem defeitos, sim! E que, acima de tudo, tem seres-humanosNós temos qualidade. Não chegamos aqui de paraquedas. Ninguém chegou aqui por acaso. Ninguém ganhou no sorteio a classificação para jogar essa final. Ganhou com muita luta, determinação, vontade e doação dentro de campo. Lá dentro, vamos dar o máximo, o máximo! Só que, aí, nós vamos ver que, na hora em que a chegarmos ao máximo, ainda podemos dar mais um pouquinho. Então vamos lá e fazer isso, pô! Vamos lá dentro e sair daqui campeão!". 

O discurso de Fernandão naquele 17 de dezembro de 2006 ainda mexe com os brios do autor do gol mais importante da história do Internacional. Exatamente dez anos depois de substituir o ídolo colorado e brilhar na final do Mundial de Clubes da Fifa, Adriano Gabiru conversou com exclusividade com a reportagem da Jovem Pan e relembrou as lindas palavras ditas pelo camisa 9 minutos antes da partida contra o poderoso Barcelona, em Yokohama, no Japão. 

"Ele falou com todo mundo antes do jogo. Foram palavras muito bonitas que ele disse naquele vestiário, momentos antes de a gente entrar no gramado para enfrentar o Barcelona. O Fernandão vai ser o nosso capitão para o resto da vida, né? Foi um jogador do c***, que sempre estevcom todo o grupo, ajudando quem precisasse. Ele faz muita falta", emocionou-se Gabiru, em contato exclusivo com o repórter Diogo Mesquita, da Rádio Jovem Pan.

O atacante foi o único jogador a balançar as redes naquela noite de domingo, no Japão. Reserva absoluto e bastante criticado pela torcida, Gabiru entrou em campo aos 31min do segundo tempo, justamente no lugar de Fernandão. Cansado e com câimbras depois de rodar o gramado inteiro perseguindo Thiago Motta, o capitão colorado não aguentou jogar os 90 minutos e deu lugar a Gabiru quando a partida parecia destinada à prorrogação.  

O gol, anotado depois de linda jogada de Iarley, eternizou Gabiru na história do Inter. Mesmo dez anos depois, o atacante não consegue se esquecer do lance que fez o poderoso Barcelona de Ronaldinho, DecoXaviIniesta e Puyol sair derrotado do Japão.  

"Na verdade, tudo nasceu com um chutão, né? Aí, eu raspei de cabeça, o Luís Adriano, também, e o Iarley foi carregando a bola com muita qualidade. Ele jogou muito naquela partida. Graças a Deus, eu tive a oportunidade de estar em campo e ter fôlego pardisparar e entrar na área naquele momentoO que tinha de fazer, eu fiz. Fomos ao Japão com o intuito de ganhar e ganhamos", celebrou. 

Hoje com 39 anos, Gabiru está sem clube e em fim de carreira. O atacante lamentou muito o rebaixamento do Inter, que caiu pela primeira vez à Série B do Campeonato Brasileiro no último fim de semana. "Os pecados, para mim, foram os jogos contra Santa Cruz e Ponte Preta, dentro do Beira-Rio", opinou Gabiru.  

"Se vencesse aquelas partidas, não teria caído. Mas aconteceu... Agora, é trabalhar duro para voltar. O Inter tem tudo para dar a volta por cima e subir já no ano que vem", finalizou o atacante, com o otimismo de quem venceu a desconfiança para fazer do Inter campeão do mundo pela primeira vez há exatos dez anos.