O Inter promete não facilitar nas negociações para liberar o meia Valdívia, de 22 anos. Pela vontade do clube gaúcho, o jogador só deve sair caso receba alguma proposta vantajosa financeiramente, e não apenas pela troca por outros atletas, como foi inicialmente apresentado por Corinthians, que sugeriu ceder o meia Giovanni Augusto, e Palmeiras, que listou alguns nomes. As ofertas foram por trocas até o fim do ano.

"Nós queremos ficar com o Valdívia. É um jogador em quem a gente acredita. O que nos apresentaram até agora não interessa", disse à reportagem do Estado o vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Melo. "Sempre recebemos muitas consultas pelo Valdívia. A maioria delas veio de intermediários, mas não de clubes. O contrato dele com a gente vai até 2020, contamos com ele", afirmou.

Valdívia passou parte da última temporada longe do time por estar em recuperação de uma cirurgia no joelho. O meio-campista retornou aos gramados no segundo semestre do ano passado, quando o clube já lutava contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. No começo da pré-temporada, o meia novamente se machucou ao sofrer um problema no tornozelo, e teve a volta às partidas antecipada para auxiliar o Inter, que vivia má fase no Estadual.

"Acreditamos muito no potencial do Valdívia. Ele só sai do Inter se tiver algo muito vantajoso tanto para o clube, como para ele", afirmou Melo sobre o jogador que começou a carreira na base do Rondonópolis-MT e está no time colorado desde 2012.