A Conmebol reduziu a punição aplicada ao volante Felipe Melo, do Palmeiras, pelo envolvimento na briga com jogadores do Peñarol ao fim de jogo da Libertadores, no Uruguai, em abril. A sanção anterior era de afastamento por seis partidas, mas agora será de três jogos. A decisão possibilita ao atleta voltar a defender o time na segunda partida das oitavas de final.

A nova punição foi fruto das apelações feitas pelo Palmeiras à entidade. A Câmara de Apelações da entidade reviu a decisão após o clube apresentar a defesa pelo jogador. O time brasileiro embasou a argumentação com vídeos e fotos tanto do jogo, como de partidas anteriores, para caracterizar que a briga foi iniciada pelos uruguaios depois de Felipe Melo ter feito um gesto religioso, e não provocativo, ao fim da partida.

Como já cumpriu dois jogos da suspensão (Jorge Wilstermann e Atlético Tucumán), o volante poderá atuar na segunda partida das oitavas de final da Libertadores, contra o Barcelona, do Equador, no Allianz Parque. Até lá, Felipe Melo tentará se recuperar de uma cirurgia na mão esquerda realizada nesta semana, para tratar de uma fratura.

Assim como a redução da punição ao jogador, a Conmebol também alterou a multa aplicada ao Palmeiras por envolvimento na confusão no estádio Campeón del Siglo. Em vez de 10 mil dólares (cerca de R$ 32 mil), o novo valor a ser pago será de US$ 5 mil, por volta de R$ 16 mil.

O Palmeiras aguarda na próxima semana uma audiência na Conmebol para tentar reduzir a outra sanção que sofreu. O clube terá de jogar três partidas fora de casa na Libertadores sem poder levar torcedores. A diretoria deve enviar representantes ao Paraguai, sede da entidade, para uma última tentativa de amenizar o prejuízo.