Com contrato até dezembro, Ricardo Oliveira ainda não renovou com o Santos. As conversas entre dirigentes e representantes do atleta já começaram, mas há alguns dias esfriaram – devido à má fase do atacante. O desejo do clube, no entanto, é de garantir a permanência do artilheiro. 

Em entrevista exclusiva a Flavio Prado que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan, o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, revelou que pretende estender o vínculo de Ricardo Oliveira nas próximas semanas. 

A ideia do mandatário, contudo, é a de assinar contratos curtos (de no máximo um ano), uma vez que o jogador tem idade avançada e já não se encontra mais na plenitude física  os primeiros cinco meses de Ricardo Oliveira em 2017 foram bastante tímidos. 

"Agora é o momento de renovações mais curtas, porque ele é um atleta de 37 anos", informou Modesto, que apesar disto, não crê em um fracasso nas negociações com o atleta. "Acho que ele fica no Santos até o término da carreira", arriscou. 

Além da valorização salarial (Oliveira recebe, hoje, cerca de R$ 200 mil mensais), o clube alvinegro aposta em outros fatores para convencer o atacante a renovar. Uma conversa, segundo Modesto, será essencial para a evolução das tratavas – hoje estagnadas devido ao mau momento do jogador. 

"Eu acho que o nosso maior argumento vai ser a seriedade do trabalho, o ambiente bom que ele tem dentro do clube... É nisso que vamos trabalhar para que ele possa continuar defendendo as cores do Santos", revelou. 

Artilheiro do Santos nos últimos dois anos, Ricardo Oliveira faz, em 2017, a sua pior temporada desde que retornou ao Brasil. O atacante só entrou em campo em 13 das 22 partidas disputadas pela equipe no ano e tem apenas três gols - média de 0,23 por jogo. Na última quarta-feira, o experiente centroavante foi reserva no confronto com o The Strongest, na Bolívia.