A eliminação em três competições na temporada e a derrota na estreia no Campeonato Brasileiro deixaram o ambiente no São Paulo mais pesado. Jogadores, diretoria e até o técnico Rogério Ceni são criticados pela fase ruim e tentam dar explicações sobre o momento da equipe. Para o volante Jucilei, o grupo está fechado com seu comandante.

"O grupo sempre conversa e está fechado com o Rogério. Ele é um bom treinador, muito inteligente, tem muito a dar a essa time. Os resultados não estão vindo, a cobrança é grande, ainda mais em um time como o São Paulo que vive de vitórias. É injusta a cobrança ser nele, todos têm sua parcela de culpa", disse.

O ápice do atrito de Ceni com seus comandados se deu no intervalo da partida contra o Corinthians, no Morumbi, quando o time chegou a estar perdendo por 2 a 0. Foi naquele jogo que o zagueiro Rodrigo Caio fez seu gesto de fair play. "O Rogério chegou chateado, dando esporro na gente porque estávamos fazendo um jogo bem abaixo no Morumbi. Ele brigou, deu uma dura mais agressiva", revelou Jucilei.

Alguns jogadores ficaram incomodados, mas Jucilei garante que tudo ficou resolvido depois. "Quando o resultado não vem, o treinador é apontado como culpado, a cobrança nele é mais da diretoria e torcedores. Sempre tem desentendimento no vestiário, mas é para acertar. Isso fica dentro do vestiário. O Cícero e o Rogério são amigos. Eles já conversaram, se entenderam e o grupo está focado", comentou.

Nesta terça-feira, Ceni fez um jogo-treino fechado contra os garotos da base. Toda vez que adota um trabalho mais tático, ele fecha a atividade para ter mais privacidade. Para o duelo de segunda-feira, ele não tem nenhum jogador suspenso e a expectativa é que o volante Araruna já esteja à disposição do treinador.