0:00
0:00

“Não me surpreende”, diz Pintado sobre desligamento do São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 21/07/2017 13h23
Rubens Chiri/São Paulo/DivulgaçãoPintado foi desligado do São Paulo após reunião na última quarta-feira. Ele estava no clube desde abril do ano passado.

Afastado da comissão técnica do São Paulo há menos de duas semanas, Pintado tinha em mãos uma proposta para trabalhar em Cotia, na transição da base para o profissional. No entanto, foi desligado do clube na última quarta-feira, após reunião com a diretoria. Nesta sexta, ele participou com exclusividade do Esporte em Discussão, da Rádio Jovem Pan, e falou pela primeira vez sobre o assunto.

Em entrevista ao repórter Marcio Spimpolo, Pintado disse que a decisão foi tomada em comum acordo – e que, por isso, a encara com muita naturalidade.

“Não me surpreende, até porque, com essa nova ideia do São Paulo, de não ter uma comissão técnica fixa, outras pessoas também foram afastadas. A ideia era para iniciar um novo projeto na transição da base para o profissional, mas isso ainda não está claro. O São Paulo tem problemas mais sérios para resolver nesse momento”, afirmou, referindo-se à luta da equipe para fugir do rebaixamento.

A decisão pelo desligamento, de acordo com Pintado, aconteceu na última quarta-feira, após reunião entre ele e a diretoria. “Conversando com a diretoria anteontem, a gente decidiu que o melhor era cada um seguir a sua vida, e que o São Paulo consiga sair dessa situação o mais rápido possível”, explicou, antes de indicar que vai voltar a atuar como técnico. “Agora, eu vou voltar para a briga aí, né? Vamos lá!”.

“Não me senti usado!”

Ainda durante a entrevista exclusiva à Jovem Pan, Pintado negou ter se sentido usado pela diretoria do São Paulo – ex-volante de muita raça, ele foi bicampeão da Libertadores pelo clube e era muito querido pela torcida, que aprovou a sua contratação como auxiliar em abril do ano passado.

“Não me senti usado. E se o São Paulo quiser me usar mais vezes, pode me chamar… Não tem problema”, brincou. “Eu nunca entendi dessa maneira. Se for para trabalhar pelo São Paulo, eu sempre estarei à disposição. Era um sonho meu. Serei eternamente grato por essa oportunidade, por tudo o que vivi no clube nesses último ano. Agora, vou para o mercado, lutar, para que um dia eu possa ter mais responsabilidade e ser ainda mais usado pelo São Paulo”, finalizou, também em tom bem-humorado.