Em busca de recuperação, Palmeiras enfrentará um Boca que não depende de Tévez

  • Por Jovem Pan
  • 11/04/2018 08h00 - Atualizado em 10/04/2018 15h37
Palmeiras/DivulgaçãoKeno e Guerra podem ser novidades do Palmeiras contra o Boca

Uma das atrações do jogo entre Palmeiras e Boca Juniors, nesta quarta-feira (10), às 21h45 (de Brasília), é Carlos Tévez, que estava lesionado, mas conseguiu se recuperar a tempo do confronto pela Copa Libertadores, no Allianz Parque. Porém, o Palmeiras precisa entender que o time argentino não depende só do ex-corintiano. O Verdão tem que se preocupar com outros jogadores, além de superar a “ressaca” pela final perdida para o rival Corinthians, no último domingo (8).

Com a intenção de mudar o foco e esquecer a polêmica arbitragem da decisão, o Palmeiras se isolou. Técnico e jogadores do clube não deram entrevistas durante esta semana. Os treinos foram fechados para imprensa. Pode ser algo importante para facilitar a concentração dos jogadores. Mas os torcedores ficam sem saber quaisquer informações sobre o time que deve enfrentar o Boca.

Inicialmente não há informações sobre lesões. Então as mudanças só devem ocorrer por desgaste físico ou escolhas técnicas. Alguns jogadores, como Lucas Lima, Victor Luis, Willian e Borja estão com as vagas de titular ameaçadas. Moisés, Diogo Barbosa, Guerra e Keno são possíveis novos titulares.

O grande mistério do Boca é justamente Tévez. Como ele se recuperou apenas nesta semana, é possível que não comece como titular. E isso não é um grande problema para o time, que venceu dois jogos importantes mesmo enquanto Carlitos estava lesionado – bateu o Talleres em confronto direto pelo Campeonato Argentino e venceu o Junior Barranquilla pela Copa Libertadores.

Portanto é possível cravar que o Boca tem qualidades que vão além de Tévez. Cardona é criativo e sabe entrar na área para fazer gols. Ramón Ábila deve ser o centroavante titular e já mostrou as qualidades no Brasil, quando atuou pelo Cruzeiro – não é diferenciado, mas sabe fazer gols. O meio-campo conta com o experiente Pablo Pérez e o promissor Reynoso. O lateral esquerdo Fabra também é um destaque do time. E a zaga, apesar de não ter um grande destaque, sofreu apenas 15 gols em 22 jogos do Argentino.

Isso se deve ao bom trabalho do promissor técnico Guillermo Barros Schelotto, que já tinha feito uma boa passagem pelo Lanús e foi campeão argentino pelo Boca na temporada passada. Agora está muito perto do bi, com sete pontos de vantagem para o segundo colocado.

O time poderia ser ainda melhor, se não tivesse os desfalques do volante Fernando Gago e e do atacante Bendetto, lesionados. Então a escalação do Boca deve ter Rossi; Jara, Goltz, Magallan, Fabra; Pablo Pérez, Barrios, Reynoso; Pavón, Abila e Cardona.

O Palmeiras é o líder do grupo, com 6 pontos. O Boca está logo atrás, com 4. Alianza Lima tem apenas 1. Já o Junior ainda não pontuou