0:00
0:00

Reservas fazem a diferença e Corinthians derrota o Atlético-PR em Curitiba

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 08/11/2017 23h00

ERNANI OGATA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

Giovanni Augusto comemora o gol da vitória do Corinthians sobre o Atlético-PR com seus companheiros

Um chute despretensioso e um reserva que fez sua estreia na temporada apenas nesta quarta-feira (8) garantiram a vitória do Corinthians sobre o Atlético-PR por 1 a 0, na Arena da Baixada. Giovanni Augusto, que poucos acreditavam que ainda poderia ajudar a equipe e Walter, suplente que pode deixar o clube por falta de espaço, fizeram com que a partida lembrasse muitas que aconteceram no primeiro turno. Sem grande atuação, a equipe de Fábio Carille somou mais três pontos e deu mais um passo rumo ao título.

Com o resultado, o Corinthians chegou aos 65 pontos e, pelo menos, manterá a vantagem de seis pontos para o vice-líder. Giovanni Augusto entrou no decorrer do segundo tempo, possivelmente pelo fato de Jadson estar suspenso e não poder ser utilizado, e acertou um chute fraco que Weverton aceitou. Antes, o estreante Walter pegou um pênalti de Nikão que claramente deixou a equipe paranaense abatida. A noite só não foi perfeita para o goleiro porque na reta final da partida ele sofreu uma lesão, teve que deixar o jogo, e pode não conseguir aproveitar a oportunidade enquanto Cássio está na Seleção Brasileira.

Em muitos jogos do primeiro turno, o Corinthians não fez uma grande atuação, mas conseguiu “achar um gol”, como aconteceu nesta quarta-feira. Aos torcedores que imaginavam nos tempos, após a contundente vitória

A primeira etapa do jogo ficou marcada pelas jogadas ríspidas e pelo domínio de jogo do Atlético-PR. O Corinthians teve apenas uma oportunidade, em tentativa de Romero defendida por Weverton. No resto do tempo, a equipe da casa foi melhor.

O caminho encontrado pelos paranaenses para tentar abrir o placar foi justamente pelo meio da defesa, que estava desfalcada com a ausência de Gabriel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Entretanto, as duas melhores oportunidades do Furacão foram de bola parada.

Aos 19, Gedoz acertou uma cobrança de falta cheia de efeito e carimbou a trave de Walter. Aos 32, o reserva de Cássio, que estreava na temporada justamente na noite desta quarta-feira, mostrou o motivo de, mesmo não sendo aproveitado por Carille, ainda ter mercado em grandes clubes. O São Paulo é um dos que tentam contratá-lo para a próxima temporada.

Nikão fez jogada individual e ao tentar cruzar, chutou a bola no braço de Fagner. Pênalti para o Atlético. Na cobrança, o meia chutou quase no meio do gol, Walter saltou e fez a defesa. O atleticano não foi bem na cobrança, mas o corintiano também tem seus méritos por ter demonstrado calma e não tentar adivinhar o canto.

Além das chances de gol, o primeiro tempo também mostrou dois times agressivos em alguns momentos. Em vários momentos, jogadores se estranharam e comissões técnicas e reservas espernearam no lado de fora, pedindo cartão e faltas.

As duas jogadas mais violentas foram de Pablo, que pisou na região da costela de Lucas Fernandes, após o meia cair no gramado e pouco depois, Thiago Heleno deu um carrinho muito perigoso, que poderia ter machucado com gravidade Romero. Sem cartão vermelho para nenhum dos dois.

No segundo tempo, os dois times caíram de rendimento e as chances de gol diminuíram. O último passe de ambas equipes sempre saia errado. Para tentar conseguir algo diferente, Carille decidiu mexer no time, principalmente no meio de campo. O problema era achar opção, já que não tinha Gabriel e Jadson (ambos suspensos) e Marquinhos Gabriel (machucado). Assim, o treinador precisou apelar para Giovanni Augusto e Paulo Roberto, que têm sido pouco aproveitados, nos lugares de Clayson e Maycon, respectivamente.

A partida parecia que acabaria no 0 a 0, quando Giovanni Augusto, aos 31, acertou um chute despretensioso, Rodriguinho passou na frente de Weverton e acabou atrapalhando o goleiro. Falha feia. E antes de acabar a partida, Walter foi cobrar um tiro de meta, sentiu uma lesão e precisou deixar o gramado. Sua situação preocupa para a sequência, já que Cássio ainda ficará de fora por mais dois jogos.

Os minutos finais, foram de pressão do Atlético-PR, mas como aquele Corinthians do primeiro turno, o time se segurou e mesmo sem o brilho da partida contra o Palmeiras, na rodada passada, conquistou duas vitórias consecutivas pela primeira vez no segundo turno e se aproximou de colocar a mão na taça.

Confira a narração do gol: