Autor de dois gols na vitória que classificou o Paris Saint-Germain às quartas de final da Copa da Liga Francesa, Lucas Moura traçou um objetivo muito claro para a sua carreira: voltar a ser convocado para a Seleção Brasileira. Em entrevista exclusiva a Fausto Favara que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan, o empresário do atleta, Wagner Ribeiro, revelou que Lucas só pensa em ser chamado por Tite para defender o Brasil, atual líder das Eliminatórias e em paz com a torcida.

"O sonho do Lucas é um dia ser convocado pelo Tite", revelou o agente, com exclusividade, à Rádio Jovem Pan. "Mas, jogando bem lá no Paris Saint-Germain, como o Lucas está jogando, com certeza o Tite vai se lembrar dele", acrescentou, otimista com relação à próxima convocação oficial da Seleção Brasileira, marcada para o início de março, antes das partidas contra Uruguai e Paraguai.

Lucas tem, de fato, feito por merecer uma convocação à Seleção. Prestes a completar quatro anos no Paris Saint-Germain, o atacante vive, sem dúvidas, a sua melhor fase no futebol europeu. Titular absoluto da equipe francesa desde as saídas de Ibrahimovic e Lavezzi, o brasileiro se transformou em um dos pilares do time comando pelo espanhol Unai Emery e já tem motivado campanhas na internet para voltar a ser chamado à Seleção Brasileira.

Aos 24 anos, Lucas ganhou confiança e, além dos dribles e arrancadas, tem mostrado uma até então desconhecida veia artilheira na atual temporada. Já são cinco gols em 2016/17 e 35 desde que desembarcou em solo francês. Formando dupla de ataque com Cavani, o brasileiro se encontrou e já é segundo maior goleador do PSG na temporada. Na última quinta-feira, ainda adentrou a lista dos 20 maiores artilheiros da história do novato clube francês - o Paris Saint-Germain tem apenas 46 anos.

Por essas e outras, o ex-são-paulino entende que nunca esteve tão perto de ser lembrado por Tite. O técnico já declarou que recompensará os atletas que se esforçarem e desempenharem bem em seus clubes e nunca revelou já ter um grupo fechado para 2018. Lucas não é chamado para a Seleção desde a Copa América Centenário, em junho, é verdade, mas tem tudo para ganhar uma oportunidade em breve.

O atacante pertence à mesma geração de Neymar, Philippe Coutinho, Casemiro e Oscar, e já pede passagem pelas boas apresentações no PSG. O problema, no entanto, parece ser a concorrência: para a função de Lucas, Tite tem convocado Neymar e Douglas Costa, peças importantes de Barcelona e Bayern de Munique, respectivamente. Uma viagem à Europa na primeira quinzena de janeiro pode fazê-lo dar uma chance ao titular do Paris Saint-Germain.