0:00
0:00

Vampeta ignora cambalhota e promete ir a pé até Aparecida caso o São Paulo seja rebaixado

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2017 14h40
Youtube/ReproduçãoYoutube/ReproduçãoVampeta prometeu ir a pé até a cidade de Aparecida caso o São Paulo seja rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro

Vampeta voltou a polemizar. Em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta quarta-feira, na Rádio Jovem Pan, o ex-jogador do Corinthians prometeu ir a pé até Aparecida caso o São Paulo seja rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro em 2017.

A promessa foi feita ao vivo, depois da pergunta de um ouvinte. Em áudio enviado à equipe da Jovem Pan, o torcedor corintiano Thiago, de Miami, perguntou a Vampeta se ele daria uma cambalhota na rampa do Planalto – como fez em 2002, depois do pentacampeonato mundial – caso o São Paulo fosse rebaixado.

O ídolo alvinegro, no entanto, ignorou a sugestão e fez outra promessa. “Eu não sou nem devoto de Nossa Senhora Aparecida, mas eu vou andando até Aparecida se o São Paulo cair. E olha que ir a pé até Aparecida é uma caminhada, hein?!”, afirmou, ciente da distância de cerca de 170 km entre São Paulo e Aparecida.

Apesar da promessa, Vampeta não acredita no rebaixamento do São Paulo. Há uma semana, um dia depois do empate por 2 a 2 com o Atlético-GO, no Morumbi, o ex-jogador afirmou que o time tricolor se recuperaria com Dorival Júnior e terminaria o Brasileirão na parte de cima da tabela.

“Termina entre os dez. Com a chegada do Dorival, o São Paulo vai ter algum momento na semana em que não vai ter jogo de Libertadores e nem de Sul-Americana. Vai ter tempo para ajeitar… Acho que o Dorival consegue dar um padrão, e o São Paulo sai dessa situação”.

Neste momento, o São Paulo é o 18º colocado do Campeonato Brasileiro, com apenas 12 pontos. A distância para o último time fora da zona de rebaixamento é de somente três pontos, mas o aproveitamento são-paulino na competição não dá confiança à torcida tricolor: em 14 jogos, o time acumula três vitórias, três empates e oito derrotas. O sofrimento, portanto, deve ser grande.