0:00
0:00

Vampeta vê “vaidade” em Neymar e lembra de Ronaldo: “era quem mais levava dura”

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2017 16h34
ReproduçãoNo Esporte em Discussão desta sexta-feira, Vampeta analisou a atuação de Neymar na partida contra o Equador

Vampeta não aprovou a atuação de Neymar na vitória por 2 a 0 sobre o Equador, em Porto Alegre. Em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta sexta-feira, na Rádio Jovem Pan, o pentacampeão mundial alertou para a “vaidade” do craque do Paris Saint-Germain e deixou um recado bem claro: é preciso que Neymar aceite dividir o protagonismo na Seleção Brasileira.

“O Neymar, todo mundo sabe, joga muito… Mas ele é um pouco vaidoso quando começa a aparecer alguém para ajudá-lo. O Coutinho tem essa qualidade, o Willian ontem jogou muito. Esses caras tinham que fazer isso: não deixar só na conta do Neymar. Para os jogadores, eles querem ser eles, os gênios, sozinhos… Mas para nós, torcedores, o que importa é o coletivo. É bom ver o Philippe Coutinho entrando bem, o Willian jogando bem… Porque, no dia em que o Neymar não estiver bem, os outros podem resolver”, afirmou Vampeta.

O individualismo de Neymar, que segurou muito a bola e tentou uma overdose de jogadas individuais na partida da última quinta-feira, incomodou o ex-volante do Corinthians. Vampeta usou até mesmo o exemplo de Ronaldo, estrela máxima do Brasil na década passada, para sugerir que os outros atletas tentem “frear” o “lado menos coletivo” de Neymar dentro de campo.

“O Ronaldo era quem mais levava dura. Era o craque do time, mas displicente… Era o cara que precisava fazer jogar. O Cafu dava dura nele, o Emerson também. O próprio Felipão falava assim: ‘só dá a bola no pé do Ronaldo Nazário, porque ele é lento…’. Só para irritar o Ronaldo. Quer dizer, ele levava dura de todo mundo, apesar de ser a principal estrela do time”.

Quadrado mágico

Apesar de alertar para a “vaidade” de Neymar, Vampeta observou virtudes na Seleção Brasileira. Como, por exemplo, a formação com que o time           disputou o segundo tempo da partida contra o Equador. Para o ex-jogador, Miranda deveria ser reserva de Thiago Silva, e Renato Augusto deveria perder a vaga para Willian.

Essa última mudança, na visão de Vampeta, faria com que a Seleção voltasse a jogar com um “quadrado mágico” do meio para frente – era assim que a formação com Kaká, Ronaldinho, Ronaldo e Adriano era chamada em 2006.

“A minha Seleção titular seria aquela que terminou o jogo de ontem, com Philippe Coutinho, Neymar, Gabriel Jesus e Willian. Esse quadrado mágico aí pode atrapalhar as demais seleções europeias. Eu escalaria os quatro com Casemiro e Paulinho, Thiago Silva e Marquinhos. O time que terminou o jogo de ontem…”.