Bruno Fratus foi mais rápido do que Cesar Cielo nas eliminatórias do Troféu Maria Lenk dos 50 metros livre, disputadas neste sábado, no Rio. O nadador do Internacional de Regatas avançou para a final com o tempo de 21s83, enquanto que o atleta do Pinheiros fez o tempo de 21s87. As finais da competição começam às 19h.

Os dois foram os únicos a nadar a distância abaixo dos 22s nas eliminatórias. Cielo comemorou a marca, que considerou inesperada. Desde dezembro de 2014 que o campeão olímpico em Pequim 2008 não conseguia ser tão rápido. 

"Está melhor do que imaginei. Dormi uma da manhã ontem. Minha sensação era que ia sair 22s06 porque estava me sentindo muito sonolento. Fui fazer antidoping antes de voltar para o hotel, então estou com o sistema nervoso um pouco devagar. Foi bom. Não nadava pra 21s8 desde 2014. Hoje à noite tem que baixar um pouco. Acho que é questão de concentrar. Ficaria bem feliz com 21s7 ou 6", disse Cielo. 

Fratus também saiu satisfeito, mas sabe que precisa melhorar para vencer a final. "Não tenho lembrança de ter nadado 21s8 de manhã. Mas esse tempo não entra nem entre os oito melhores índices técnicos. Então tem que baixar bastante", comentou.

A competição é a última seletiva para o Mundial de Natação, que ocorrerá em Budapeste, na Hungria, entre 14 e 30 de julho. Cielo e Fratus ainda não estão garantidos na competição. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos deve levar ao menos oito atletas e o critério para a vaga será divulgado apenas em 11 de maio. Provavelmente será baseado no ranking da Federação Internacional de Natação que compara todas as provas. A pontuação dada ao atleta vai de acordo com a proximidade de seu tempo em relação ao recorde mundial. 

Etiene Medeiros, do Sesi-SP, fez o melhor tempo nos 50m, ao nadar em 24s78, com uma marca próxima do próprio recorde sul-americano feito ano passado, em 24s45. Na sexta-feira, ela passou mal e ficou de fora das provas.

"Estou me sentindo bem melhor e consegui o que esperava para as eliminatórias, nadar na casa do 24s7. Sempre tive esta característica de nadar forte desde o início, e agora, melhor de saúde, deu pra fazer. O quadro principal sempre é o mental, mas quando não estamos bem fica em cerca de 70%. Agora já subiu pra uns 98% em relação ao quadro físico. Mas quero abaixar o tempo na final", comentou Etiene.

Nas eliminatórias dos 200m peito, os melhores tempos foram de Macarena Ceballos, com 2min33s54, e Thiago Simon, com 2min14s09. Carolina Bilich liderou as séries lentas dos 800m com 8min53s72, enquanto Leonardo de Deus, com 15min25s50, foi o melhor das séries lentas dos 1.500m.