A Arena do Futuro, que seria transformada em quatro escolas no Rio, pode ter um novo destino. O prefeito de Florianópolis Gean Loureiro (PMDB) se mostrou interessado pela estrutura e há dois meses iniciou uma negociação silenciosa com o Ministro do Esportes, Leonardo Picciani, e com o prefeito carioca, Marcelo Crivella (PRB).

A arena, que custou ao Governo Federal R$ 133 milhões, foi construída para abrigar as disputas de handebol nos Jogos Olímpicos e de goalball na Paralimpíada. Com 35 mil metros quadrados e capacidade para 12 mil pessoas, a Arena do Futuro tem uma estrutura modular e pode ser desmontada e transportada. O Rio é o seu atual detentor. A Arena está localizada na zona Oeste do Rio, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca.

"Florianópolis precisa de um complexo para a prática esportiva e também cultural. Eu fiz esse pedido e o ministro interviu pessoalmente junto ao prefeito Crivella. Já estamos estudando uma parceria público privada para o transporte, montagem e gerenciamento da arena", disse Loureiro.

A prefeitura de Florianópolis não informou quais empresas poderiam ser parceiras nesse projeto. Na próxima semana, as prefeituras de Florianópolis e Rio devem se reunir com o diretor de planejamento do Ministério do Esporte para avaliar os dados técnicos e a viabilidade de trazer a Arena do Futuro para a capital catarinense. O Governo Federal sinaliza que é favorável com a iniciativa.

O local escolhido para o parque poliesportivo deverá ser a Via Expressa Sul, ao lado do Terminal do Saco dos Limões, que está desativado e serve de estacionamento para os ônibus do Consórcio Fênix.

"Há dois meses, o Gean me fez uma proposta ousada. Levar a Arena do Futuro para Florianópolis. Eu conversei com o prefeito e ele autorizou a negociação. É importante dizer que o equipamento pertence à prefeitura do Rio e que as quatro escolas serão construídas da mesma forma", ressaltou o ministro Picciani.