As competições de rugby 7 nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que representou o retorno da modalidade ao programa olímpico após 92 anos, gerou 16,3 milhões de novos torcedores, segundo um estudo internacional da Nielsen Sports.

A pesquisa, realizada na França, Japão, Reino Unido, Austrália, Alemanha e Estados Unidos, revelou que o interesse nesse esporte cresceu uma média de 10% em todos esses países após o torneio olímpico, que terminou com as medalhas de ouro de Fiji, entre os homens, e das australianas no feminino.

O estudo revela que o rugby 7 olímpico teve um maior impacto nos torcedores entre 18 e 24 anos, especialmente no Reino Unido, onde 39% dos questionados dessa faixa etária assistiram aos jogos, e na França, onde o índice chegou a 36%.

Entre as percepções citadas pelos entrevistados sobre o rugby 7, destacam-se adjetivos como "atrativo" e "divertido". Muitos também disseram que o esporte se encaixa bem no programa olímpico.

"O estudo mostra que o rugby 7 nos Jogos Olímpicos teve um sucesso incrível para atingir a novas audiências, gerando milhões de novos simpatizantes para a 'família rugby' em só seis dias. Isso nos dá uma base incrível para Tóquio 2020", disse o presidente da World Rugby, Bill Beamount.

O diretor-executivo da Nielsen Sports, Jon Stainder, destacou o "grande impacto" do rubgy 7 olímpico nos espectadores. "Foi um atrativo para as novas audiências, mudando de maneira positiva a percepção do esporte", afirmou.