O GP da Bélgica tinha tudo para acabar de ótima maneira para a Mercedes, mas a competitividade entre os companheiros de equipe foi além e tirou a vitória das mãos da escuderia.

Após perder a liderança para Hamilton na largada, Rosberg partiu para cima do seu companheiro e, na segunda volta, acabou tocando o inglês, furando o pneu de Hamilton e perdendo um pedaço do bico do seu carro. Quem saiu perdendo mesmo nessa história foi o inglês, que caiu para as últimas posições, já que teve que ir para os boxes trocar o pneu furado.

Já Rosberg continuou brigando entre os primeiros colocados, mas o "estranhamento" com Hamilton na segunda volta custou a vitória. Quem se aproveitou da briga das Mercedes foi Ricciardo (Red Bull), que é o único que ameaça a hegemonia da escuderia alemã nesse campeonato.

O australiano liderou com certa folga a corrida e conquistou sua terceira vitória no campeonato. A segunda posição ficou com o líder do campeonato, Nico Rosberg, e, fechando o pódio, Bottas (Williams). O brasileiro Felipe Massa foi só o 13º.

A corrida

Com os dois carros da Mercedes na primeira fila, já era de se esperar que a briga começaria desde à largada. E foi exatamente o que aconteceu. Hamilton conseguiu a ultrapassagem sobre o seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, logo na largada. O alemão não deixou barato e foi pra cima, o que gerou o momento de maior destaque da corrida: a colisão entre os dois companheiros de equipe.

Na tentativa de tomar de volta a primeira posição, Rosberg bateu o bico do carro na roda traseira de Hamilton. Pior para o inglês, que teve que ir para os boxes trocar o pneu traseiro e voltou para a prova lá de trás. Rosberg manteve a ponta, momentaneamente, e quando parou nos boxes, conseguiu voltar entre os primeiros colocados.

Mas quem se deu melhor com os entraves da Mercedes foi Daniel Ricciardo. O piloto da RBR assumiu a ponta na 16º volta e não largou mais. Mas nas posições anteriores foi forte. 

Na 20º volta, Vettel, Bottas e Rosberg travaram boa briga pela terceira posição. Enquanto Rosberg tentava ultrapassar Vettel, que era o 3º, Bottas se aproveitou da situação e conseguiu a ultrapassagem em cima de Rosberg e roubou momentaneamente a 4º posição. Mas a alegria do piloto da Williams durou pouco, já que Rosberg retomou a posição pouco tempo depois e continuou batalha intensa com Vettel, que só foi encerrada com a parada nos boxes.

Com várias trocas de posições após as paradas, Ricciardo manteve a ponta, seguido de Raikkonen (Ferrari) e Rosberg. O alemão da Mercedes e líder do campeonato apertou o finlandês e conseguiu tomar a 2º posição do piloto da Ferrari na volta de número 36. Quatro voltas depois, na 40º, Bottas conseguiu ultrapassar o seu conterrâneo e assumiu a 3º posição, fechando o pódio.

Veja como ficou a classificação final do GP da Bélgica:

1: Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) - 44 voltas em 1h24min36s556
2: Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 3s3
3: Valtteri Bottas (FIN/Williams) - a 28s0 
4: Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - a 36s8 
5: Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - a 52s1 
6: Jenson Button (ING/McLaren) - a 54s5 
7: Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 61s1 
8: Sergio Perez (MEX/Force India) - a 64s2 
9: Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso) - a 65s3 
10: Nico Hulkenberg (ALE/Force India) - a 65s6 
11: Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso) - a 71s9
12: Kevin Magnussen (DIN/McLaren) - a 54s2 * punido em seis posições 
13: Felipe Massa (BRA/Williams) - a 75s9 
14: Adrian Sutil (ALE/Sauber) - a 82s4 
15: Esteban Gutierrez (MEX/Sauber) - a 90s8 
16: Max Chilton (ING/Marussia) - a 1 volta
17: Marcus Ericsson (SUE/Caterham) - a 1 volta
18: Jules Bianchi (FRA/Marussia) - a 5 voltas

Não Completaram
Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 
Romain Grosjean (FRA/Lotus) 
Pastor Maldonado (VEM/Lotus) 
Andre Lotterer (ALE/Caterham)