0:00
0:00

Nos pênaltis, Corinthians perde para o Inter e é eliminado na Copa do Brasil

  • Por Jovem Pan com Estadão Conteúdo
  • 20/04/2017 00h26
GERO RODRIGUES/ESTADÃO CONTEÚDOGERO RODRIGUES/ESTADÃO CONTEÚDOJogadores do Internacional comemoram o gol de empate contra o Corinthians no Itaquerão
SP - COPA DO BRASIL/CORINTHIANS X INTERNACIONAL - ESPORTES - Nico Lopez, do Internacional, comemora gol da equipe em partida contra o Corinthians, válida pela 4ª fase da Copa do Brasil 2017, na Arena Corinthians, na zona leste de São Paulo, na noite desta quarta-feira (19). 19/04/2017 - Foto: GERO RODRIGUES/ESTADÃO CONTEÚDO

O Corinthians fez mais uma daquelas atuações que não encantavam, mas parecia que daria certo, até que um gol contra, do lateral-direito Fagner, levou a decisão para os pênaltis e deu tudo errado. O time do técnico Fábio Carrile está fora da Copa do Brasil. Com emoção até o fim, o Internacional venceu por 4 a 3 na disputa de pênaltis, após empate por 1 a 1 no tempo normal, no estádio Itaquerão, em São Paulo.

É a terceira eliminação do Corinthians nos pênaltis em sua arena O time já havia caído diante do Audax e do Palmeiras, ambos em semifinais do Campeonato Paulista. Um dos vilões desta vez foi o lateral-esquerdo Guilherme Arana, que chutou por cima a última cobrança e a chance de classificação do time alvinegro. Antes, Marquinhos Gabriel e Maycon tiveram seus chutes defendidos pelo goleiro Marcelo Lomba.

O Corinthians chegou ao seu 22.º jogo na temporada e, na maioria deles, fez o contrário do que se prega do futebol moderno. Contra o Internacional, não foi diferente e desta vez deu errado O time de Fábio Carille não é de ficar com a bola no pé, tocar e tocar, em busca de um espaço, como faz grandes clubes da Europa e alguns times do futebol brasileiro.

O time corintiano é objetivo e não faz muitas cerimônias com a bola no pé. Isso não faz com que se veja um espetáculo em campo e muitas vezes custa caro, como aconteceu nesta quarta-feira. Entre excesso de erros de passes e ansiedade na finalização que faz o time perder boas oportunidades de ter o placar mais dilatado, a equipe alvinegra tem conseguido chegar mais longe do que muita gente espera.

Diante do Internacional, uma pequena diferença em relação aos outros jogos. O gol rápido. Logo aos sete minutos, Fagner cobrou lateral para a área, Jô deu um leve desvio para Maycon bater no canto esquerdo de Marcelo Lomba, resultado que obrigava o clube gaúcho a marcar dois gols.

E o roteiro tão conhecido dos corintianos voltou à tona, principalmente no primeiro tempo. O adversário pressionava, mas sem muito espaço para entrar na área e apostava nos cruzamentos, onde Pablo e Balbuena devem ter ficado com dor de cabeça tamanha quantidade de cabeceios necessários para afastar o perigo.

No segundo tempo, a pressão foi ainda maior e, desta vez, os espaços apareceram e o Internacional aproveitou. Aos 26 minutos, após boa defesa de Cássio, Nico López cruzou pela direita e Fagner, ao tentar tirar, marcou contra. Nico López é bem conhecido do corintiano. Ele fez um dos gols do Nacional, do Uruguai, no jogo em que culminou na eliminação da equipe da Copa Libertadores do ano passado.

O gol sofrido fez o Corinthians partir para o ataque e foi a vez dele perder chances de garantir a vaga. A decisão foi para os pênaltis e o Internacional venceu por 4 a 3. Jadson, Jô e Fagner marcaram para o Corinthians. Brenner, William, Valdivia e Diego fizeram para os gaúchos. Maycon e Marquinhos Gabriel tiveram suas cobranças defendidas por Marcelo Lomba. Já Cássio pegou a bola chutada por Ortiz, mas não evitou a eliminação.

Opinião JP

Para os comentaristas da Jovem Pan, a classificação colorada diante do Corinthians foi justa. Flávio Prado disse que o Internacional não se intimidou com a pressão da torcida alvinegra e poderia ter saído de campo até com a vitória no tempo normal.

“O Internacional sempre procurou propor o jogo. Teve mais posse de bola, finalizou, criou. O Corinthians jogou mais no contra-ataque. Até teve várias chaces, mas em nenhum momento se impôs no jogo. Pelo contrário, o Inter foi quem levou mais perigo. Cássio teve que fazer grandes defesas. Então como o Internacional criou mais, o 1 a 1 era o mínimo que se esperava. Injustiça é algo que não podemos dizer sobre a eliminação do Corinthians”, analisou.

Vampeta fez elogios não apenas ao goleiro Cássio, mas também a Marcelo Lomba. Segundo o comentarista da Jovem Pan, ambos foram responsáveis pelo placar do tempo normal. “Cássio e Lomba foram muito bem. Poderia ter sido 2 a 2 ou 3 a 3, resultado que eliminaria o Corinthians no tempo normal. Mas acabou indo para os pênaltis e infelizmente quem perdeu as cobranças foram os meninos que subiram da base, o Maycon e o Arana”, concluiu.

Ouça os gols e os pênaltis da partida entre Corinthians e Internacional: