André Brasil ganha os 200m medley com facilidade e conquista o 4º ouro no Mundial

  • Por Estadão Conteúdo
  • 05/12/2017 09h11
Divulgação/Daniel Zappe/CPB/MPIXAndré Brasil já soma três ouros e uma prata nesta edição do Mundial Paralímpico

De forma dominante, André Brasil conquistou na noite desta segunda-feira (5), na Piscina Olímpica Francisco Marquez, na Cidade do México, a sua quarta medalha de ouro no Mundial Paralímpico de Natação de 2017. O brasileiro não teve dificuldades para confirmar o seu favoritismo na prova dos 200 metros medley, que teve apenas ele da classe S10 e outros competidores da S9. Assim, ele liderou do início ao fim para triunfar mais uma vez no local que também é o histórico palco da Olimpíada de 1968.

Antes desta nova vitória, André Brasil já havia faturado o pentacampeonato mundial dos 100 metros livre S10 e ampliado a hegemonia nesta prova, na qual nunca foi derrotado em cinco participações na competição, tendo subido ao topo do pódio nesta disputa também nas edições de Durban-2006, Eindhoven-2010, Montreal-2013 e Glasgow-2015.

O nadador, que tem apenas uma pequena sequela na perna esquerda que foi resultado de uma poliomelite que teve com apenas três meses de idade, também ganhou neste Mundial na capital mexicana o ouro nos 100 metros costas na classe S10 e no revezamento 4×100 metros masculino 34 pontos (que é a somatória dos pontos das categorias dos quatro nadadores que formam o quarteto de cada país).

André Brasil ainda ganhou uma prata no último sábado, quando acabou sendo superado por Phelipe Rodrigues na final dos 50 metros livre em uma prova bastante equilibrada, antes de “dar o troco” no amigo de Seleção Brasileira e adversário na noite do domingo na prova dos 100 metros. Naquela ocasião, Phelipe quebrou um tabu ao conquistar o seu primeiro ouro em um Mundial.

Na prova que fez na noite desta segunda-feira, André Brasil começou a abrir vantagem já no início e depois deixou claro que seria muito complicado qualquer adversário alcançá-lo, fato que fez o próprio nadador admitir. “Particularmente, depois que eu vi que estava bastante na frente, eu dei uma acomodada. É difícil, são atletas novos (que competiram contra ele). Eu falei que eu não iria desmerecer competir com eles. Não foi uma das minhas melhores marcas, mas me coloca entre os oito melhores do mundo no ano”, destacou o vencedor, que triunfou com o tempo de 2min27s08.

BRASILEIRO LEVA BRONZE – Além de André Brasil, o brasileiro Riter Silva, que é da classe S9, ganhou a medalha de bronze e faturou o seu primeiro pódio em um Mundial ao terminar esta prova de medley em 2min27s08, enquanto que a prata ficou com o italiano Federico Morlacchi, com 2min21s48.