0:00
0:00

Saudades? Com a F1 de férias, relembre o que teve de mais empolgante na temporada

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2017 08h43
Fernando Alonso deitou numa cadeira de praia no GP da Hungria, em referência a outra ocasião em que ficou descansando na beira da pista em Interlagos

Fernando Alonso já deu o aviso após o GP da Hungria: a Fórmula 1 está de férias. Até o final de agosto, quando acontece o GP da Bélgica, os pilotos poderão seguir o exemplo do espanhol da McLaren e curtir a cadeira de praia em algum lugar ao redor do mundo.

A imagem de Alonso sentado próximo ao pódio de Hungaroring foi apenas mais um momento divertido dos vários que a Fórmula 1 viveu neste primeiro semestre de 2017. Mais acessíveis que em anos anteriores, o fã do automobilismo pode se sentir mais próximo dos pilotos e ainda viu ótimas corridas durante as 11 primeiras etapas desta temporada.

Para matar as saudades, a Jovem Pan separou os momentos mais legais da primeira metade da temporada da F1, que tem Vettel na liderança, com 14 pontos de vantagem sobre Lewis Hamilton. Confira:

Interação com o público

Como já citado, a Fórmula 1 está mais próxima dos fãs nesta temporada. Muito disso se deve ao esforço da nova dona da categoria, a Liberty Media, em investir na informalidade, atrair mais público e garantir mais audiência para a principal categoria do automobilismo.

Isso pode ser observado desde uma simples legenda identificando um torcedor fantasiado no GP da China como “Darth Vader, Lord Sith” até o evento “F1 Live”, que levou os carros e os pilotos para as ruas de Londres.

Outra iniciativa interessante da nova chefona foi abolir as entrevistas coletivas após o treino classificatório e colocar os pilotos, ainda com os macacões e os ânimos aquecidos pelo resultado no grid, para responder perguntas diante do público na arquibancada.

EFE

Vettel x Hamilton

A disputa entre o alemão e o inglês tem sido a grande atração desta temporada. Com quatro vitórias para cada lado, eles já ficaram a um ponto de diferença na classificação do mundial, hoje liderado pelo piloto da Ferrari. O ponto alto desta briga aconteceu no GP da Espanha, quando eles competiram roda com roda pela liderança, conquistada por Hamilton.

O pequeno fã da Ferrari

A prova em Barcelona também rendeu uma cena emocionante: o choro do menino Thomas, torcedor da Ferrari de seis anos que foi às lágrimas quando Kimi Raikkonen abandonou a prova, logo após a largada. O garotinho foi localizado pela organização da F1, foi levado para conhecer o piloto finlandês no paddock da equipe e ainda ganhou um boné autografado.

Reprodução / Twitter

Reprodução / Instagram

De ladinho

O tradicional GP de Mônaco foi palco de uma cena inusitada envolvendo o alemão Pascal Wehrlein, que ficou de lado na curva de acesso ao túnel após Jenson Button tocar em sua Sauber.  O piloto não se machucou na batida, mas precisou ser retirado do cockpit ainda com o carro em 90°.

Ídolo sendo fã

No Canadá, foi a vez de Lewis Hamilton ficar emocionado ao ganhar um capacete de Ayrton Senna, ídolo do piloto inglês, após igualar o número de pole positions do brasileiro. O piloto da Mercedes chorou com a homenagem e mais uma vez declarou sua idolatria a Senna: “para muitos de vocês, Ayrton foi o piloto favorito. Ele era o meu também. Receber isso, e empatar com ele é uma grande honra”.

Reprodução Twitter

Vettel x Hamilton – parte 2

O Grande Prêmio do Azerbaijão teve tantos momentos surpreendentes que já pode ser considerada uma das grandes corridas nos últimos anos. Vettel ficou irado com a freada de Hamilton na curva e jogou propositalmente sua Ferrari em cima do inglês, mesmo durante a presença do Safety Car. Massa poderia ter se aproveitado da confusão, mas abandonou a prova por problemas no carro e perdeu a chance de subir ao pódio. A prova foi vencida por Daniel Ricciardo, e ainda teve o novato Lance Stroll no terceiro lugar.

“Suck my b…”

Nico Hulkemberg não estava nada contente com a fechada que sofreu de Kevin Magnussen durante o GP da Hungria e resolveu invadir a entrevista que o piloto dinamarquês concedia para a TV e o chamou de “piloto mais antidesportivo”. A resposta também não foi nada diplomática: “chupe minhas b…”, devolveu Magnussem.

A volta de Kubica

Um dos fatos mais legais desta temporada, apesar de não ter acontecido durante uma corrida, foi a volta do polonês Robert Kubica, que não pilotava um carro de Fórmula 1 desde 2011, quando sofreu um grave acidente de rally. Ele participou dos testes em Hungaroring pela Renault e não decepcionou, ficando com o quarto melhor tempo após 142 voltas.

EFE

Bônus: Alonso na Indy                                   

Fernando Alonso teve raros momentos bons na Fórmula 1 na temporada até aqui, mas o melhor foi na Indy. O piloto espanhol abriu mão do GP de Mônaco para participar das 500 Milhas de Indianápolis e provou que, com um carro em boas condições, ainda é um grande piloto. Ele chegou a liderar a prova norte-americana, mas acabou ficando de fora nas últimas voltas também por conta de problemas no motor, parecido com o que tem enfrentado com a Honda na F1. A prova foi vencida por um ex-F1, o japonês Takuma Sato.

Reprodução / Twitter / McLaren