0:00
0:00

Kevin Anderson bate espanhol e se classifica pela primeira vez à final do US Open

  • Por Estadão Conteúdo
  • 08/09/2017 21h37
EFE/EPA/BRIAN HIRSCHFELDNúmero 32 da ATP, sul-africano Kevin Anderson se tornou o jogador com o ranking mais baixo a disputar uma final de Grand Slam desde 2008

Aos 31 anos de idade, o tenista sul-africano Kevin Anderson finalmente chegou em uma decisão de Grand Slam na carreira profissional. Nesta sexta-feira, com bons saques – seu melhor fundamento – e um jogo sólido, derrotou de virada o espanhol Pablo Carreño Busta por 3 sets a 1 – com parciais de 4/6, 7/5, 6/3 e 6/4, em 2 horas e 54 minutos de confronto – para avançar à final do US Open, em Nova York.

A vitória nesta semifinal do quarto e último Grand Slam da temporada coroa o bom retrospecto do tenista da África do Sul na série de torneios em quadras rápidas nos Estados Unidos. Tanto que recentemente foi finalista do ATP 500 de Washington. Com três títulos de ATP na carreira, Kevin Anderson quer encerrar um jejum de mais de dois anos – a última conquista foi o ATP 250 de Winston Salem, também em solo norte-americano, em 2015.

Outro motivador para a decisão é a chance de fazer com que a África do Sul volte a conquistar um título de Grand Slam pela primeira vez desde 1981, quando Johan Kriek foi o campeão do Aberto da Austrália, em Melbourne. Antes disso, um sul-africano chegou à final do US Open pela última vez em 1965, com Cliff Drysdale.

Atual 32.º colocado do ranking da ATP, Kevin Anderson é o jogador com o ranking mais baixo a disputar uma final de Grand Slam desde 2008, quando o francês Jo-Wilfried Tsonga decidiu o Aberto da Austrália sendo apenas o número 38 do mundo. O sul-africano pode ser também o campeão com o menor ranking desde o argentino Gaston Gaudio, em Roland Garros, em 2004 (44.º lugar). Em 1997, Gustavo Kuerten ganhou em Paris sendo o 66.º do mundo.

“Não sei o que dizer neste momento. Foi uma longa jornada. Esses Grand Slams são difíceis. É por isso que eu trabalho tão duro. Foi um jogo inacreditavelmente duro para mim. Era a primeira vez para nós dois. No fim do ano passado, me disseram que eu provavelmente teria que fazer cirurgia no quadril. Aqui estou nove meses depois. Significa o mundo para mim”, afirmou Kevin Anderson, ainda na quadra Arthur Ashe, a principal do Complexo de Flushing Meadows, em Nova York, logo após a vitória sobre Pablo Carreño Busta.