0:00
0:00

Número 957 há seis semanas, Sloane Stephens bate compatriota e fatura o US Open

  • Por Estadão Conteúdo
  • 09/09/2017 19h53
John G. Mabanglo / EFESloane Stephens vai subir de 83ª para a 17ª colocação no ranking da WTA

Em uma das maiores recuperações na história do tênis mundial, o US Open conheceu neste sábado (9) uma nova integrante na sua lista de vencedoras. Há seis semanas, a norte-americana Sloane Stephens voltava ao circuito profissional depois de se recuperar durante 11 meses de uma lesão no pé esquerdo e era a número 957 do mundo. Agora é campeã do Grand Slam disputado em Nova York ao derrotar a compatriota Madison Keys por 2 sets a 0 – com parciais de 6/3 e 6/0, em 1 hora e 1 minuto.

Com o título no US Open, Sloane Stephens deve aparecer nesta segunda-feira (11), na atualização do ranking da WTA, como a 17ª colocada do mundo – uma incrível subida de 940 posições desde a sua participação em Wimbledon, em julho, quando voltou a jogar. Desde agosto, quando começaram os torneios preparatórios para o Grand Slam em Nova York, até este sábado, a norte-americana jogou 17 vezes e obteve 15 vitórias – só perdeu para a dinamarquesa Caroline Wozniacki e para a romena Simona Halep nas semifinais de Toronto (Canadá) e Cincinnati.

“Eu passei por cirurgia em 23 de janeiro (de 2017). Honestamente, se alguém me dissesse que eu seria campeã do US Open, (diria) que é impossível. Não trocaria por nada no mundo. Ela (Madison Keys) é uma de minhas melhores amigas no circuito. Disse para ela que gostaria de que fosse empate. Jogar aqui foi muito especial”, disse a vencedora, ainda na quadra Arthur Ashe, a principal do Complexo de Flushing Meadows, em Nova York, logo após a vitória sobre a amiga e compatriota, que também passou por problemas físicos nesta temporada.

Vice-campeã do US Open, Madison Keys perdeu a oportunidade de voltar ao Top 10 do ranking da WTA. A jovem de 22 anos – treinada pela também norte-americana Lindsay Davenport, uma ex-número 1 do mundo – terminou a temporada passada no oitavo lugar, mas precisou operar o punho esquerdo. Ela ainda fez a segunda cirurgia no mesmo local depois de Roland Garros, quando enfim pôde jogar sem dor. Atual 16ª colocada, ela deve subir para a 12ª posição.

Outro dado espetacular para a vitória de Sloane Stephens é que a ex-número 11 e atual 83ª do mundo tem o segundo ranking mais baixo entre as vencedoras de Grand Slam, ficando atrás apenas de Chris O’Neil, que venceu o Aberto da Austrália de 1978 como 111ª colocada.

Esta foi a 10ª vez que duas tenistas dos Estados Unidos se enfrentaram em uma final do US Open. A última havia sido em 2002, quando Serena Williams – que não jogou neste ano por causa da gravidez e do recente nascimento de seu primeiro filho – derrotou a irmã mais velha Venus na decisão.