Rússia denuncia campanha para expulsá-la do esporte mundial

  • Por EFE
  • 06/12/2017 12h30

EFE

Atletas russos que não foram acusados de doping poderão competir nos Jogos de Inverno sob bandeira neutra

A Chancelaria Russa afirmou nesta quarta-feira (6) que a decisão do Comitê Olímpico Internacional (COI) de excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos de Inverno de PyeongChang, em 2018, faz parte de uma campanha para expulsar o país do esporte mundial.

“Esta é uma campanha informativa que começou antes dos Jogos Olímpicos de Sochi (2014). Mas deixou de ser apenas informativa, e se tornou uma campanha para a direta expulsão da Rússia do esporte mundial”, afirmou Maria Zakharova, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores russo, em entrevista coletiva.

A Rússia considera que os inimigos do país lançaram uma “ofensiva em grande escala” tanto na esfera política como nos veículos de imprensa e no esporte.

A diplomata denunciou o uso de “mecanismos de pressão política” para que o COI punisse a Rússia pelo programa de doping de Estado em Sochi.

“Observe que uma grande quantidade de atletas de diferentes países foram desclassificados por doping, inclusive nos Jogos Olímpicos. Por acaso houve uma decisão similar por parte dos organismos olímpicos? Não houve nada disso”, afirmou.

Zakharova também criticou a decisão do COI de realizar em PyeongChang cerimônias especiais para os atletas que receberão as medalhas dos russos suspensos por terem consumido substâncias proibidas em Sochi.

A cúpula do COI se posicionou na terça-feira (5) a respeito das denúncias sobre a existência de um programa estatal de encobrimento de positivos nos Jogos de Sochi, mas não optou por uma punição coletiva que causasse um escândalo de grandes proporções.

A entidade condenou os atletas russos a competirem individualmente e sob bandeira neutra, o que a Rússia considerou uma “humilhação”. Após a notícia, alguns políticos russos pediram um boicote aos Jogos, embora o presidente, Vladimir Putin, sempre se oponha a essa medida.