Superliga de vôlei terá finais em 2 jogos e “golden set” pode definir campeão

  • Por Estadão Conteúdo
  • 09/10/2017 13h10

Divulgação / CBV

Rexona-SESC é o atual campeão na Superliga Feminina

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) deu o pontapé inicial para a Superliga 2017/2018. O torneio começa no dia 14 de outubro, com as decisões só no próximo ano, e terá a presença de 12 equipes no masculino e 12 no feminino. Entre as novidades estão a inclusão do uso da tecnologia para rever lances nas partidas a partir das semifinais (antes era só na final) e a decisão do título em dois confrontos após oito temporadas de partida única, com a inclusão do “golden set” no duelo decisivo caso exista uma vitória para cada lado.

“A CBV vai fazer mais uma vez o possível para das as melhores condições aos clubes. Oferecemos transporte, passagens, alimentação, hospedagem, bolas, piso, tudo para dar conforto às equipes para que possam se preocupar cada vez mais com os treinos e jogos”, explicou Radamés Lattari, diretor da entidade

A competição será transmitida pela RedeTV! e SporTV. A TV Globo exibirá apenas as duas finais, no masculino e feminino, no meses de abril e maio, Para esta edição, foi permitido que cada clube terá o direito de transmitir suas partidas ao vivo dentro do canal da CBV.

Outra novidade desta edição da Superliga é a estreia de algumas equipes. O projeto do técnico José Roberto Guimarães já está rendendo frutos e ele vai comandar o Hinode Barueri na competição. A equipe conta com as experientes ponteiras Erika e Suelle, a levantadora Naiane, a oposta Edinara e a central Saraelen. Em pouco tempo o time chegou à elite do vôlei e ainda está na final do Campeonato Paulista contra o Vôlei Nestlé, de Osasco.

No masculino, as novidades são o Sesc-RJ, que será comandado por Giovane Gávio e terá jogadores de seleção brasileira como o ponteiro Maurício Borges, o central Maurício Souza, o oposto Renan e o líbero Tiago Brendle. Já o Corinthians-Guarulhos, vice-campeão paulista e que em quatro meses já vem mostrando resultado, aposta na experiência do líbero Serginho e na força da Fiel para chegar longe no torneio.

Confira as equipes participantes das Superligas:

Feminina: Sesc-RJ, Vôlei Nestlé (SP), Dentil/Praia Clube (MG), Camponesa/Minas (MG), Vôlei Bauru (SP), BRB/Brasília Vôlei (DF), Fluminense (RJ), Pinheiros (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP), Renata Valinhos/Country (SP), Hinode Barueri (SP) e Sesi-SP.

Masculina: Sada Cruzeiro (MG), EMS Taubaté Funvic (SP), Sesi-SP, Vôlei Renata (SP), Montes Claros Vôlei (MG), Minas Tênis Clube (MG), JF Vôlei (MG), Lebes/Canoas (RS), Caramuru Vôlei (PR), Copel Telecom Maringá Vôlei (PR), Sesc-RJ e Corinthians-Guarulhos (SP).