0:00
0:00

Real e Juventus reeditam final de 1998 com coincidências e equilíbrio

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2017 11h46
Divulgação / Real MadridDivulgação / Real MadridMijatovic marcou o gol do título do Real Madrid na Liga dos Campeões em 1998

Mijatovic marcou o gol do título do Real Madrid na Liga dos Campeões em 1998

Real Madrid e Juventus farão a final da Liga dos Campeões no dia 3 de junho, em Cardiff, no País de Gales. O encontro é uma reedição da final de 1998, quando a equipe merengue bateu a Velha Senhora por 1 a 0, com gol do sérvio Mijatovic.

O duelo de 2017 é marcado por um encontro de um Real Madrid acostumado às finais da Liga – esta é a terceira em quatro anos – com uma Juventus hegemônica na Itália, mas que ainda busca o título continental para consagrar principalmente o goleiro Buffon, que defende a Juve há 16 anos e nunca conquistou a Champions.

Porém, o cenário encontrado em 1998 era praticamente ao contrário do de hoje. A Juventus da época tinha a final da Liga dos Campeões como uma rotina e disputava naquele ano a sua terceira final seguida (tendo vencido apenas uma, em 1996). Já o Real Madrid tentava quebrar um jejum de 32 anos sem erguer a “orelhuda”.

Enquanto que o Real Madrid de hoje conta com o poderoso trio formado por Cristiano Ronaldo, Benzema e Bale, a Juventus de 1998 tinha em seu ataque Del Piero, Inzaghi e aquele que futuramente se tornaria lenda também no lado oposto do confronto, o francês Zidane, hoje técnico do Real.

O Real de 1998 era mais modesto, mas nem por isso menos grandioso. O time de Roberto Carlos, Seedorf e de um jovem Raúl de apenas 20 anos era um esboço do que viria a se tornar os “galácticos” que dominaram o começo da primeira década de 2000 com Anelka, Ronaldo, Figo e companhia.

Em campo, o gol que acabou com o jejum merengue saiu apenas aos 22 do segundo tempo, nos pés de Mijatovic. Se por um lado era o nascimento de uma geração gloriosa do Real Madrid, também era o começo do fim de um grande time da Juve. Marcelo Lippi passou a comandar a Inter em 1999, mesmo ano da aposentadoria de Deschamps. Em 2001, Inzaghi trocava a Juve pelo Milan e Zidane partia para o Real Madrid para dar mais força aos “galácticos”.

Morata: herói do último encontro, hoje no lado oposto

A última vez que a Velha Senhora se encontrou com a equipe merengue foi justamente para se classificar à sua última decisão, em 2015, quando foi derrotada pelo Barcelona por 3 a 1.

O confronto entre Juventus e Real na semifinal de 2015 teve como grande personagem o atacante Morata. O espanhol, que jogou nas categorias de base do Real, foi vendido sem muito alarde à Juve em 2014, quando tinha apenas 21 anos.

Em Turim, fez dupla com Tevez e marcou 19 gols em duas temporadas. Foi do argentino que Morata recebeu o passe para marcar um gol na primeira partida da semifinal, terminada em 2 a 1 para a Juve.

No jogo de volta, Morata foi novamente decisivo, marcando o gol que empatava a partida e impedia o Real Madrid de alcançar a virada. Ele ainda balançaria as redes na decisão contra o Barcelona, mas Rakitic, Neymar e Suárez não permitiram que a Juve acabasse com o seu jejum, que hoje é de 19 anos.

O desempenho na Itália permitiu que Morata voltasse ao clube que o lançou no começo desta temporada. Ele chega à decisão contra o ex-clube com apenas um gol, marcado na fase de grupos em cima do Sporting.

Retrospecto

Ao todo, Real Madrid e Juventus se enfrentaram 19 vezes, com nove vitórias para o lado merengue e oito para o lado bianconero, além de outros dois empates. Enquanto o Real chega como o ataque mais devastador desta edição da Liga, com 31 gols marcados, a Juve se apresenta como a defesa mais sólida, vazada apenas três vezes em toda a competição.