0:00
0:00

Santos sofre, mas faz 2 a 0 no Paysandu e consegue boa vantagem na Copa do Brasil

  • Por Estadão Conteúdo
  • 26/04/2017 21h51
LÉO PINHEIRO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOLÉO PINHEIRO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOBruno Henrique celebra o primeiro gol do Santos na vitória sobre o Paysandu
SP - COPA DO BRASIL/SANTOS X PAYSANDU - ESPORTES - Bruno Henrique, do Santos, comemora após marcar gol na partida contra o Paysandu, válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil 2017, na Vila Belmiro, em Santos (SP), nesta quarta- feira, 26. 26/04/2017 - Foto: LÉO PINHEIRO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO

O Santos sofreu, teve mais uma atuação abaixo do esperado, mas largou em vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. Na Vila Belmiro, o time chegou a ser vaiado pela torcida, mas arrancou o triunfo por 2 a 0 graças ao golaço de Bruno Henrique, o melhor em campo, em lindo chute de fora da área no início da segunda etapa, e à presença de área de Copete, que selou o placar de cabeça, nos minutos finais.

O resultado ajudou a selar a paz entre o Santos e a torcida, que vaiou a equipe no intervalo e o meia Vitor Bueno no segundo tempo, e deu boa vantagem para a volta em Belém. No dia 10 de maio, o Paysandu terá que vencer o Santos por três gols de diferença, em casa, se quiser se classificar no tempo normal.

Mas o certo é que o time paulista terá que melhorar seu futebol. Até porque o próximo compromisso será um duelo importantíssimo pela Libertadores. No dia 4 de maio, quinta-feira da semana que vem, o Santos recebe o Independiente Santa Fe no Pacaembu e pode encaminhar a classificação com uma vitória.

O jogo

O Paysandu surpreendeu e começou com uma postura ofensiva, pressionando na marcação e encurralando o Santos na defesa. Com isso, chegou com perigo duas vezes nos primeiros minutos, com Wesley e Leandro Carvalho, antes que o time da casa finalmente conseguisse deixar a defesa.

Aos nove, o Santos atacou pela primeira vez em bela jogada de Bruno Henrique. O atacante foi lançado e dominou já cortando o zagueiro, antes de tocar para Ricardo Oliveira, que só não marcou porque foi travado pela marcação. Aos 17, Victor Ferraz cruzou da direita e David Braz emendou da entrada da área para boa defesa de Emerson.

Por mais que já dominasse a posse de bola, o Santos era pouco agressivo e irritava a torcida. Para piorar, via o Paysandu levar mais perigo nos contra-ataques. Aos 29, Leandro Carvalho perdeu grande chance. Após chutão de Gilvan da defesa, ele aproveitou cochilo de Matheus Ribeiro e arrancou para invadir a área e bater firme, parando na boa saída de Vanderlei.

Em um jogo de poucas inspiração de ambos os lados, Bruno Henrique aparecia como principal peça ofensiva do Santos. Aos 42, ganhou pela esquerda, passou por um marcador e encheu o pé, parando em Emerson. O goleiro voltou a aparecer bem no minuto seguinte, ao defender finalização firme de Ricardo Oliveira da entrada da área.

O Santos cresceu na reta final do primeiro tempo, mas não o suficiente para impedir as vaias da torcida no intervalo. Somente quando Bruno Henrique abriu o placar no início do segundo tempo, o clima amenizou. O atacante recebeu pela esquerda, a marcação afastou e ele arriscou. A bola foi forte, no ângulo esquerdo de Emerson, que não alcançou. Em resposta ao comportamento das arquibancadas, o autor do gol não comemorou.

E durou pouco a paz do Santos com a torcida. O time até tentou ir ao ataque, na marra, e chegou a criar algumas boas oportunidades, mas errava muitos passes. Quem sofreu com a irritação das arquibancadas, então, foi Vitor Bueno, bastante vaiado ao ser substituído por Arthur Gomes aos 16 minutos.

Mas a substituição deu certo, o garoto santista entrou bem e a equipe cresceu. Victor Ferraz ganhou força pelo lado direito e criou algumas boas jogadas para Ricardo Oliveira, que sofria com a falta de espaço e não conseguia finalizar da melhor forma.

Para piorar, o Paysandu seguia assustando em oportunidades esporádicas. Aos 24, Vanderlei precisou mostrar muito reflexo após cobrança de falta que passou por toda a área e sobrou para finalização de Wesley. Mas se não criava, o Santos tratou de impedir sustos do adversário.

Quando o magro triunfo parecia certo, o Santos conseguiu o segundo gol que lhe deu a ampla vantagem. Aos 44 minutos, Vladimir Hernández cobrou falta da direita na cabeça de Copete, que finalizou para a rede.

Ouça os gols da partida entre Santos e Paysandu: