0:00
0:00

Apoio a impeachment de Dilma cresce e já beira os 70%, diz Datafolha

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2016 18h09
Agência BrasilAgência BrasilDilma (AGBR)
Entrevista da presidenta Dilma Rousseff sobre nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a Casa Civil (Wilson Dias/Agência Brasil)

A vontade da maior parte dos eleitores brasileiros é a de que Dilma Rousseff seja, sim, impedida de continuar exercendo o cargo de presidente da República. De acordo com pesquisa publicada pelo Datafolha no fim da tarde deste sábado, 68% dos eleitores querem que a petista sofra o impeachment. O instituto ouviu 1794 eleitores entre os dias 17 e 18 de março em 171 municípios do Brasil 

O apoio ao afastamento de Dilma pelo Congresso Nacional cresceu em todos os segmentos pesquisados. Na pesquisa anterior, realizada em fevereiro, 60% dos eleitores eram favoráveis ao impedimento.

Os crescimentos de maior intensidade aconteceram entre os que têm entre 45 e 59 anos (de 52% para 68%), entre os que têm pelo menos 60 anos (de 48% para 61%) e entre os eleitores mais ricos (de 54% para 74%). 

Como ponto de comparação, vale dizer que, em pesquisa Datafolha realizada entre os dias 2 e 3 de setembro de 1992, 75% dos eleitores brasileiros eram favoráveis ao impeachment do ex-presidente Fernando Collor. Menos de um mês depois, ele foi afastado do cargo. 

Se cresceu o número de brasileiros que querem o impedimento de Dilma, o percentual dos contrários ao impeachment da petista diminuiu. A taxa, que, em fevereiro, era de 33%, agora é de 27%.  

A reprovação ao governo de Dilma também aumentou. Agora, 69% dos brasileiros avaliam a administração da sucessora de Lula como ruim ou péssima. O percentual é parecido com os 71% de reprovação alcançados por Dilma em agosto do ano passado, o mais alto da história do Datafolha.