Foliões são vítimas de arrastão em Ipanema, zona sul do Rio

  • Por Agência Brasil
  • 12/02/2018 13h48
Agência Brasil/ EBCVários foliões foram vítimas de arrastões na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, um dos pontos mais nobres da zona sul do Rio

Apesar de o governador Luiz Fernando Pezão anunciar um aumento do efetivo das forças de segurança durante o carnaval no Rio de Janeiro, têm sido constantes os casos de foliões sendo vítimas de arrastões em vários pontos da cidade. Na madrugada e durante a manhã desta segunda-feira (12), vários foliões foram vítimas de arrastões na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, um dos pontos mais nobres da zona sul do Rio.

A assessoria da Polícia Militar informou, por meio de nota, que policiais do batalhão do Leblon foram alertados por foliões de que vários homens a pé roubavam foliões na Avenida Vieira Souto, na madrugada desta segunda-feira (12). Equipes do batalhão prenderam um dos criminosos com objetos roubados: um celular, um cordão e R$ 1.500 reais. O preso foi conduzido para a delegacia do Leblon, onde foi reconhecido pelas vítimas, que tiveram seus pertences restituídos. O criminoso foi autuado em flagrante por roubo. Outros dois menores, um de 14 e outro de 15 anos, que também participavam da ação foram apreendidos e encaminhados para um centro de ressocialização do estado.

Em outra ação no Leblon, policiais militares foram informados sobre um homem que, sozinho, armado de uma pistola, fazia vários assaltos no bairro. No momento em que avistaram um suspeito e foram realizar a abordagem, foram surpreendidos com tiros disparados pelo homem. Os dois policiais ficaram feridos e o criminoso conseguiu fugir em direção à Cruzada São Sebastião e não foi localizado. Os militares foram levados ao Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, onde foram atendidos e, em seguida, liberados, pois os ferimentos foram sem gravidade.

Esquema da PM

A Polícia Militar informou que estão mobilizados, de forma extraordinária, 17.110 policiais em todo o estado para garantir a segurança durante o Carnaval deste ano. Planejada pelo estado-maior da corporação, a Operação Carnaval 2018 vai se estender até a quarta-feira de cinzas (14). O esquema especial não afetará atividades de rotina nem o reforço no policiamento da comunidade da Rocinha, zona sul do Rio, que tem ações permanentes desde o dia 18 de setembro do ano passado, quando foi iniciada uma guerra entre facções rivais que lutam pelo controle dos pontos de venda de drogas na favela.

A área da Cidade Nova, onde estão localizados o Sambódromo e o Terreirão do Samba, receberam atenção especial, principalmente durante a noite e a madrugada. Neste ano, estão escalados 794 policiais militares para atuar nesta região da cidade, com o emprego de 47 viaturas, posicionadas em pontos estratégicos.

Para montar o plano, foram mobilizados efetivos de todas as unidades convencionais, inclusive do interior do estado, de todas as unidades especiais, assim como a convocação de policiais lotados em funções administrativas. O modelo de policiamento será empregado de acordo com o perfil da região e da programação prevista, entregue pela Riotur.

O policiamento a pé, por exemplo, será feito em locais de grande concentração de foliões, desfiles de escolas de samba e blocos populares. De acordo com o plano, 2.130 policiais estarão dedicados a acompanhar os desfiles dos nove maiores blocos. Os desfiles das demais agremiações de rua serão policiados pelo efetivo empregado no plano geral.