Jungmann confirma que balas que mataram Marielle foram roubadas na Paraíba

  • Por Jovem Pan
  • 16/03/2018 20h26
Marcelo Camargo/Agência BrasilMinistro da Segurança Pública, Raul Jungmann, vê ligação das balas do caso Marielle com a Chacina de Osasco

Em inquérito, instaurado nesta sexta-feira (16), que apura o caso da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), a Polícia Federal fez duas importantes descobertas. No início da tarde foi divulgado que a munição usada no crime era de um lote vendido à PF de Brasília em dezembro de 2006. Já na parte da noite, em entrevista, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, revelou que o artefato foi roubado na sede dos Correios na Paraíba.

“Essa munição foi roubada na sede dos Correios, pela informação que eu tenho. A Polícia Federal já abriu mais de inquéritos por conta dessa munição desviada”, declarou Jungmann.

O ministro disse ainda que a investigação constatou que as balas que mataram Marielle e Anderson Gomes, eram do mesmo lote das munições utilizadas na Chacina de Osasco em 2015.