Natalini defende volta da inspeção veicular para reduzir mortes em decorrência da poluição

  • Por Jovem Pan
  • 15/11/2017 16h43
Reprodução/FacebookVereador Gilberto Natalini (PV), afirma que 4.100 pessoas morrem por ano por conta de problemas acarretados pela poluição do ar

A Câmara Municipal de São Paulo deve votar nos próximos dias o retorno da inspeção veicular. O projeto de lei, de autoria, do vereador Milton Leite (DEM), também contou com a parceria do ex-secretário do Verde e Meio Ambiente, vereador Gilberto Natalini (PV), que destaca o fim do uso do diesel nos ônibus da capital.

Em entrevista à Jovem Pan, Natalini confirmou que a principal preocupação é zelar pela qualidade do ar de São Paulo, uma vez que 4.100 pessoas morrem por ano por conta de problemas relacionados a poluição do ar na capital. “Nós esperamos votar o projeto já na próxima semana. São dois aspectos, um que trata da redução na emissão de gás e de efeito estufa, que produzem o aquecimento global e mudanças climáticas. Enquanto, o outro trata da redução dos poluentes, tanto os particulados de enxofre como o NOX”, explicou.

Segundo o vereador do PV, os 15 mil ônibus urbanos, ônibus intermunicipais, fretados e veículos a diesel prestadores de serviço, como caminhões de lixo, terão um prazo inicial de 10 anos para zerar as emissões de CO2 e diminuir os poluentes. No entanto, metade dessa poluição também corresponde a frota de pouco mais de 6 milhões de automóveis. “Não podemos obrigar a frota de automóveis a mudar o combustível. Por isso, estamos propondo a volta da inspeção veicular”, revelou o parlamentar.

Questionado sobre como seria o controle nos veículos licenciados em outras cidades e estados e que circulam na capital, Natalini destacou que por enquanto não há como exercer o poder de fiscalização por conta das leis municipais. Mas, segundo ele, o governador Geraldo Alckmin já estuda a possibilidade de implantar a inspeção veicular em todo o estado a partir de 2018.

Já sobre o modelo de cobrança, o vereador do PV afirmou que uma das possibilidades seria o desconto direto no valor do IPVA. “Nosso modelo é diferente do anterior. Estamos dando um prazo de carência de três anos para os carros 0 km e de dois anos para as motos 0 km. A inspeção seria bi-anual e o custo de R$ 50,00 seria descontado no IPVA. Não é nada para explodir o orçamento. Agora, vai salvar e tirar muita gente de leito de hospital”.

“Mesmo aqueles que não morrem, ficam doentes com bronquites, bronquiolites, pneumonia, cânceres… vários tipos de tumores têm relação com a poluição do ar. Segundo o Dr. Paulo Saldiva, especialista em poluição atmosférica, nos dias de alto pico de poluição, na cidade de São Paulo, dobram o número de pessoas com infarto do miocárdio nos Prontos-Socorros públicos. Imagina o prejuízo humano e de saúde pública? Podemos evitar isso regulando o escapamento dos carros. A vida vale mais que tudo”, finalizou Natalini.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos