Pesquisadores desenvolvem dieta com Whey Protein e sangue bovino para estudo sobre Aedes

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2017 13h28
Venilton Kuchler/ANPrA ideia é substituir o sangue humano por um alimento que misture nutrientes, sangue bovino e proteína do soro do leite, mais conhecida como Whey Protein

Pesquisadores da Fiocruz desenvolveram uma nova dieta para os mosquitos Aedes aegypti modificados com a bactéria Wolbachia, que é uma estratégia em estudo para o controle do vírus da dengue no País. De acordo com a pesquisa, a dieta colabora no desenvolvimento da bactéria.

A ideia é substituir o sangue humano por um alimento que misture nutrientes, sangue bovino e proteína do soro do leite, mais conhecida como Whey Protein. Este, é um tipo de suplemento usado por atletas após o treino.

Os resultados de tal estratégia foram publicados no Scientific Reports, publicação do grupo Nature.

De acordo com os pesquisadores, a nova alimentação eliminará uma etapa da pesquisa. Atualmente, ela usa sangue humano de bancos de sangue parceiros da Fiocruz, de modo a alimentar os mosquitos desenvolvidos em laboratório.

Com essa dieta, os pesquisadores não precisam mais fazer testes prévios no sangue humano usado para alimentar os mosquitos. Fora isso, a nova alimentação poupa recursos.

Com ela, o número de ovos de Aedes aegypti desenvolvidos com a bactéria foi tão significativo quanto na dieta usual com sangue humano. Isso demonstrou a eficácia da composição nutricional.

A bactéria Wolbachia, em estudo desde 2011, impede que o vírus da dengue se desenvolva no organismo no mosquito. O projeto Eliminar a Dengue: Desafio Brasil, que é coordenado pela Fiocruz, já vem testando essa estratégia.