A região metropolitana de São Paulo viveu mais uma noite de violência na madrugada deste sábado. Esta foi a terceira seguida, com várias pessoas mortas e feridas a tiros. Entre a noite de quarta-feira e o início da madrugada deste sábado, pelo menos 23 pessoas morreram e 14 ficaram feridas.

Num intervalo de apenas três horas, entre as 22 h de sexta e a 1h deste sábado, 11 pessoas morreram e outras quatro foram feridas a tiros. Outras oito acabaram baleadas na capital paulista, a maioria delas em bairros da zona leste - cinco delas morreram. Na Grande São Paulo, outras sete pessoas também foram alvo de atiradores: seis delas morreram. Entre as vítimas não há policiais, civis ou militares.

Quatro pessoas foram baleadas às 22h45 na esquina da Rua General Dias com a Rua Paracanã, no Jardim Concórdia, região da Penha, zona leste de São Paulo. Segundo a polícia, dois homens numa moto atiraram contra um grupo de pessoas que estava em frente a uma residência. Depois fizeram o mesmo contra outras pessoas que conversavam em frente a um bar, ao lado da casa. Os feridos foram socorridos pela Polícia Militar e por testemunhas e distribuídos para os hospitais do Tatuapé e da Vila Maria. Duas das vítimas não resistiram e faleceram.

Meia hora depois, no bairro do Cangaíba, também na região da Penha, ocupantes de uma moto atiraram contra dois homens que conversavam na Rua Goitá, próximo à Avenida Cangaíba. As vítimas foram levadas para o pronto-socorro do Tatuapé, mas ambas morreram. Tanto o crime ocorrido no Jardim Concórdia como o do Cangaíba foram registrados no 10º Distrito Policial, da Penha. A polícia ainda não sabe informar se há relação entre os dois ataques, nem se as vítimas possuíam antecedentes criminais.

No começo da madrugada, policiais militares foram até o Jardim Aurora, região do Lageado, também na zona leste de São Paulo. Ao chegarem na altura do nº 12 da Avenida Sansão Castelo Branco, os policiais encontraram um homem caído ao lado de um córrego.A vítima, baleada, já estava morta. Uma testemunha que ligou para o Centro de Operações da PM, segundo a corporação, informou que os tiros foram disparados por pelo menos quatro homens que ocupavam um Volkswagen Fox prata. Já de acordo com a Polícia Civil, a informação que chegou ao plantão do 50º Distrito Policial, do Itaim Paulista, foi outra. Os tiros partiram de suspeitos numa moto. A vítima, de acordo com a delegacia, estava sem documentos e não foi identificada.

Por volta da 1h, segundo a Polícia Militar, uma mulher foi ferida no ombro por dois atiradores numa moto na Vila Dalva, região do Rio Pequeno (zona oeste da capital paulista). A vítima informou à PM que estava num bar na Rua Antonio da Silva Dias, quando a dupla de motoqueiros passou e atirou na direção do estabelecimento. Policiais militares da 3ª Companhia do 16º Batalhão foram alertados por um colega que estava no Hospital Universitário e soube da chegada da vítima, socorrida por testemunhas. A mulher não corre risco de vida, segundo a PM. Os criminosos continuam foragidos. O caso foi registrado no 14º Distrito Policial, de Pinheiros.

Chacina
Segundo o que testemunhas relataram à Polícia Militar pouco após as 22h, desconhecidos armados num veículo prata abriram fogo contra um grupo em frente a um bar na esquina da Rua Canelinha com a Estrada Jacarandá, na Vila Nova Carapicuíba, em Carapicuíba, região oeste da Grande São Paulo. Quatro homens foram atingidos e morreram no pronto-socorro da Vila Dirce. Não foi informado se as vítimas tinham passagem pela polícia. Essa é a 12ª chacina registrada em 2012 na Região Metropolitana de São Paulo, com um total de 38 mortos. O crime será investigado pelo 1º Distrito Policial de Carapicuíba.

Barueri
Praticamente no mesmo horário, na esquina da Avenida Itu com a Avenida Marginal Esquerda, no Jardim Paulista, em Barueri, testemunhas asseguram que dois homens numa moto atiraram contra um casal de namorados e uma adolescente de 16 anos que conversavam na rua. As vítimas foram distribuídas para o pronto-socorro central e do Jardim Silveira, além do Hospital Sameb. O casal de namorados morreu. Já a adolescente permanecia internada, segundo a Polícia Civil, que não quis informar se os dois mortos tinham passagem pela polícia.

Viatura
O garupa de uma moto atirou contra uma viatura da 1ª Companhia do 4º Batalhão na noite desta sexta, na esquina da Rua Tito com a Rua Francisco Alves, na Lapa, zona oeste da capital paulista. Ao perceber a aproximação dos policiais, o rapaz sacou a arma e atirou, porém o disparo não atingiu a viatura, que era ocupada pelo soldado Fernandes e pela soldado Ângela. Um dos PMs também disparou de dentro do veículo. A bala atravessou o vidro. Na rápida troca de tiros, não houve feridos. A dupla foi detida e encaminhada para o 91º Distrito Policial, de Vila Leopoldina, e autuada em flagrante.